segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Campus Party encerra terceira edição com sucesso em Belo Horizonte

Terminam com sucesso as atividades da terceira edição mineira da Campus Party, um dos maiores encontros de tecnologia em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo, que teve início na quarta-feira(7), na Serraria Souza Cruz, em Belo Horizonte. Essa edição, que pela primeira vez foi totalmente gratuita, foi apresentada pela Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (FINIT).

“Nosso objetivo com essa edição da Campus Party era democratizar o acesso a tecnologia e ao conhecimento. Por ser gratuita, pais, filhos e avós puderam interagir com tecnologias inovadoras, assistir palestras, trocar conhecimento em um ambiente muito mais diverso e democrático”, explica Tonico Novaes, diretor geral da Campus Party.

Nos quatro dias do evento os participantes puderam acompanhar mais de 100 horas de conteúdo, com mais de 150 atividades entre palestras, workshops, maratonas hackers, entre outros.

Entre os palestrantes de destaque estiveram presentes: Andrew Humphries, um empreendedor em série e co-fundador da The Bakery, primeira aceleradora de desafios corporativos do mundo com sede em Londres; Willian Gordox, primeiro caster brasileiro e streamer nas horas vagas de League of Legends; a bacharel em sistemas de informação, Dani Marinho, que contou como a sua ida à NASA mudou sua história; e o cartunista Maurício Ricardo, um dos pioneiros e mais premiados produtores de conteúdo da internet brasileira.

Um dos grandes temas do evento foi o empreendedorismo. Além de um palco inteiramente dedicado ao assunto, cerca de 50 startups e 16 projetos universitários puderam expor suas ideias e participaram de mentorias dentro do programa Startup&Makers e Campus Future. Victor Mourthe, gerente de projetos do Suricar, explica que o objetivo da participação na #CPMG3 era aumentar a visibilidade e trocar experiências com os visitantes. “Estamos na fase final dos testes e iremos lançar nosso aplicativo que auxilia o deficiente auditivo a dirigir com segurança no trânsito, no início do ano que vem. Participar do programa Startup Makers nos ajudou a dar visibilidade e entender a viabilidade da nossa ideia”.

Outro ponto de sucesso foram os três hackathons realizados. Cerca de 100 pessoas se reuniram em grupos e tiveram pouco mais de 48 horas para desenvolverem soluções para os problemas propostos pelo BNDES e a PRODEMGE. Segundo Fernando Tomé, responsável pela organização das maratonas de desenvolvimento, por essa ser uma edição inteiramente gratuita, os participantes eram mais diversos. “Conseguimos atrair pessoas que nunca haviam participado de um hackathon fazendo com que eles se envolvessem e criassem soluções que irão ficar de legado para a sociedade”.

No sábado, a Mini Maker Fair, uma exposição de passatempos, experiências e projetos makers, reuniu cerca de 50 expositores e contou com oficinas e atrações para crianças. O programador Marcos Maggi trouxe seu filho Theodoro de 4 anos ao evento. “Eu acredito que desde pequeno é importante que a criança tenha contato com a tecnologia como forma de desenvolver o raciocínio lógico e se capacitar para o futuro”, conta.

Outro fator que comprova o sucesso da Campus Party foi a visita do governador eleito, Romeu Zema. “A Campus Party é um evento extremamente importante, além de ser uma grande oportunidade para jovens e crianças terem mais contato com a tecnologia”, finaliza.

Sobre a Campus Party
A Campus Party é a maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo. O evento conta hoje com mais de 550 mil campuseiros cadastrados em todo mundo, e já produziu edições em países como Espanha, Holanda, México, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Colômbia, Equador, Itália e Singapura. O evento está presente no Brasil há dez anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário