quarta-feira, 22 de abril de 2009

Exclusivo


Por: Ricardo Bello

Em uma conversa descontraída, o ator e humorista do Zorra Total, exibido pela Rede Globo, nos fala sobre sua vida pessoal, televisão e outras coisas. Confira:

REVISTA DE CULTURA - Muitos dizem que é mais dificil fazer comédia do que drama, você concorda?

ANSELMO VASCONCELLOS - Sendo o aprendizado uma constante nesta profissão, as dificuldades são simétricas e proporcionais a nossa capacidade de conhecimento. Entretanto há atores com dons surpreendentes e com eles aprendemos o que a técnica não nos satisfaz.
REVISTA DE CULTURA - O que é mais difícil: atuar no teatro ou na televisão?

ANSELMO VASCONCELLOS -
O teatro é a casa do ator. Aí reside a arte de representar. A televisão é um veículo que divulga esta arte.

REVISTA DE CULTURA - Você já trabalhou ou tem vontade de fazer algum projeto no rádio?

ANSELMO VASCONCELLOS - Adoraria ter um programa de rádio. É um antigo desejo. Acho um grande veículo. Cresci ouvindo rádio e ainda é vivo na minha lembrança programas maravilhosos. A TV herdou muita coisa boa do radio. O Zorra Total ainda preserva o humor de bordão, uma característica forte do nosso rádio. Ouvi novelas, seriados, humoristicos e poetas. Até hoje lembro da novela "Jerônimo, o Herói do Sertão", de Moises Weltaman.

REVISTA DE CULTURA - Alguns personagens da TV foram parar na telona, já surgiu a idéia de levar o Patrick, Dionizio e toda turma para as telas do cinema?

ANSELMO VASCONCELLOS- Não que eu saiba.

REVISTA DE CULTURA - O que você acha sobre a questão da meia entrada nos cinemas e teatros para estudantes, idosos e algumas outras categorias?

ANSELMO VASCONCELLOS - Acho que menospreza a dificuldade que é sobreviver da arte.
REVISTA DE CULTURA - Antes de ser ator você teve outra profissão? Em que trabalhava? Recebeu o apoio de familiares quando optou pela carreira artística?

ANSELMO VASCONCELLOS -Trabalhei em diversos setores: educação e mercado financeiro. Meu pai me incentivou muitíssimo.

REVISTA DE CULTURA - Você tem algum ídolo nas artes cênicas ou no humor?

ANSELMO VASCONCELLOS - Não. Filosóficamente sou iconoclasta de carteirinha.
REVISTA DE CULTURA - Você lida bem com a questão do assédio, reconhecimento das pessoas na rua? Muita gente brinca com os nomes ou bordões dos seus personagens?

ANSELMO VASCONCELLOS - Lido muito bem. Sou muito simples neste aspecto e agradeço sempre quaisquer reconhecimentos que mereço.

REVISTA DE CULTURA - Se você não fosse ator que profissão acha que seguiria?

ANSELMO VASCONCELLOS - Sempre desejei ser médico. Me atraia muito a idéia de cuidar dos outros.

REVISTA DE CULTURA - O espaço é seu, dexe um recado para os visitantes do blog:

ANSELMO VASCONCELLOS- Gostaria apenas de recomendar a visita ao blog que assino: www.bloglog.com.br/anselmovasconcellos

Nenhum comentário:

Postar um comentário