quarta-feira, 17 de março de 2010

Exclusivo:


Por: Ricardo Bello
Foto: Gabriel Reis

Essa semana o Revista de Cultura conversou com exclusividade com Gabriel Reis, o Poparazzo do programa Superpop, da Rede TV!, apresentado por Luciana Gimenez. Ele falou sobre polêmicas no BBB 10, artistas legais, flagras exclusivos, apertos que passou e muito mais. Confira:

Revista de Cultura: Gabriel, quem foi o primeiro famoso que você flagrou? Ele ou ela foi simpático (a)?

Gabriel Reis: Paulo Vilhena. Não, foi antipático. Ele me agrediu por causa do flagra. Eu poderia ter ficado traumatizado, mas na verdade me motivou mais.

Revista de Cultura: Já teve artista que não gostou de ser fotografado e agrediu, quebrou cãmera, enfim? Já fez amizades também no meio artístico?

Gabriel Reis: Fui agredido várias vezes. tenho muitos atores que são meus amigos sim. Rodrigo Hilbert, Iran Malfitano, Thalita Lippi, entre outros.

Revista de Cultura: Se você nao fosse fotógrafo que profissão seguiria?

Gabriel Reis: Eu sou formado em jornalismo e marketing. Eu já trabalhei nestas áreas. Já fui repórter esportivo, assessor de imprensa de jogadores e já trabalhei com publicidade. Gosto de adrenalina, mas ainda assim venho sendo responsável por atualizar conteúdo de um site famoso que fala do Flamengo, o www.magiarubronegra.com.br.

Revista de Cultura: E os seguranças dos famosos ou seguranças de hotéis etc, como tratam os paparazzi?

Gabriel Reis: Os seguranças dos famosos são parceiros. Levamos uma boa conversa e fazemos até amizade. Isso é mole. Os seguranças de hotel são bem marrentos. Eles sempre tem a razão e não conhecem nada de lei.

Revista de Cultura: Tem algum famoso que você queria muito flagrar, mas ainda não conseguiu?

Gabriel Reis:
Sim, Michael J. Fox (O astro do filme De Volta para o Futuro) . Sou fã do cara.

Revista de Cultura: O Impostor do Pânico chegou a apanhar dos seguranças da Madonna em uma das últimas visitas dela ao Brasil. Você também passou algum apuro para fotografá-la? Conseguiu conversar com ela?

Gabriel Reis: O Impostor deu mole. Fica querendo aparecer. Ele imita o início do meu quadro quando eu tentava furar os esquemas de segurança. Chega um momento que você não pode mais fazer isso porque sua cara ou de quem está contigo fica conhecida. Ele tem prazo de validade vencido. Paparazzo não é isso. Quanto à Madonna, flagrei ela de tudo quanto foi jeito e não passei por apuros, pois trabalhei dentro da lei. Já o Impostor poderia ser processado até. Por isso, de uns anos para cá parei de invadir e etc, pois cai tudo em cima da gente depois.

Revista de Cultura: Quando o Sylvester Stallone veio ao Brasil você fez cobertura. Foi dificil o acesso a ele? Foi bem recebido?

Gabriel Reis: Tirei foto com ele posada e tudo. O cara é tranquilão pela manhã. Gente boa demais. Conversa, dá entrevista, aperta mão, faz foto dando soco no queixo, mas depois de gravar o filme e um dia inteiro de trabalho, ele fica mal humorado. Aviso: não tente pedir autógrafo do Stallone depois das 18h. Ele toma umas cachaças e fica chato pra caramba.

Revista de Cultura: Você é amigo pessoal do Marcelo Dourado. Acha que ele ganha o Big Brother Brasil? O que achou da polêmica que ele causou, que fez até o cantor Boy George fazer declarações sobre o programa?

Gabriel Reis: Sou amigo, quase irmão. Ele vai ser finalista e disso tenho certeza. Estou muito chateado com esse estereótipo que os gays estão criando. Na boa, o mundo não está mais homofóbico e sim heterofóbico. Agora se você acha feio dois homens se beijando você é homofóbico, sabia? Quero mais é que se exploda quem pensa desta forma. Poxa, tenho amigos gays ótimos, mas tem muita gente passando dos limites. Entrei no Twitter do Jhean Willis e do Boy George e mandei uns recadinhos bem agradáveis para eles.

Revista de Cultura: Nas horas vagas o que gosta de fazer?

Gabriel Reis: Eu gosto muito de comer. Não é a-toa que estou gordinho. Sou fã da cebola do Outback, mas em dias mais lights eu como a sopa de cebola apenas. As terças-feiras eu curto pedir uma Dominos dupla e Sushi tem que ser no Niksushi. Adoro também ver filmes e seriados. Indico Supernatural, Lost, Fringe, Heroes, Flash Forward e Clone Wars. Academia? Bem, vou atualmente só pra fazer um transporte.

Revista de Cultura: Já aconteceu alguma situação engraçada enquanto você flagrou algum artista, que você lembre e possa contar aqui?

Gabriel Reis: Sim. Eu estava flagrando o Bruno Gagliasso aos beijos com uma outra atriz meio desconhecida. Só que ele estava namorando a Heleninha Bordón. Aí, ele veio pedir que eu apagasse o flagra, com a amiga Fernandinha Paes Leme do lado. Os dois prometeram pegar uma praia nos dias seguintes para eu fazer fotos caso eu apagasse o vídeo. Eu aceitei. Me deram até o telefone do empresário. Quando eu liguei pra marcar, no dia seguinte, o empresário nem me deu atenção e percebi que a tal forra não existia e que achavam que tinham me zoado. Não contavam que existia o segundo paparazzo, que trabalhava comigo. Lógico que as imagens foram ao ar poucas horas depois. Confesso que foi tão gostoso. Eles se acham mais espertos que a gente.

Revista de Cultura: O espaço é seu: mande uma mensagem para os nossos leitores:

Gabriel Reis: Fala aí pessoal da Revista de Cultura. Agradeço o espaço aos leitores e amigos. Ajudem aí o meu amigo Marcelo Dourado. Quando ele for para o paredão eliminem os outros. E fiquem ligados no meu quadro, Poparazzo, no programa Superpop da Rede TV.

Um comentário:

  1. GRANDE ENTREVISTA! A REVISTA DE CULTURA - NA FIGURA DO POLIVALENTE JORNALISTA - RICARDO BELLO, É UM ÓTIMO LUGAR PARA OBTER INFORMAÇÕES VERDADEIRAS E DIVERTIDAS SOBRE O MUNDO DAS ARTES.
    RICARDO BELLO ESTÁ DE PARABÉNS POR EMPRRENDER ESSE BLOG QUE A CADA DIA ESTÁ MELHOR!
    FORTE ABRAÇO, SÉRGIO GIRALDI

    ResponderExcluir