quarta-feira, 6 de maio de 2009

Silvio Navas: talento e bom humor



Por Ricardo Bello

Silvio Navas, um dos mais talentosos dubladores brasileiros, dono da voz de personagens famosos da televisão, como: Papai Smurf, o temido vilão do desenho dos Thundercats, Mumm-ra, Peter (amigo do gênio Macgyver), Bud Spencer entre outros, atendeu ao nosso pedido e responde, com exclusividade, aqui no Revista de Cultura a seção 10 perguntas. Confira esta divertida entrevista:

Revista de Cultura - Como começou a sua carreira de dublador? Na sua família há outros dubladores?

Silvio Navas - Sou o único dublador (ator em dublagem) de minha família. Fui levado à dublagem pelas mãos de meu "irmão", Older Cazarré, um grande comediante, ótimo diretor de dublagem, criador de vozes, que Deus já nos levou.

Revista de Cultura - Qual personagem que dublou que você mais gostou?

Silvio Navas - Acho que todos pensam que foi o Mumm-ra, mas não foi. Meu tesão foi ter dublado o Charlie Chaplin nos 4 filmes falados que ele estrelou: "Um Rei em Nova York", Luzes da Ribalta", "Monsieur Verdeaux" e a extraordinária obra "O Grande Ditador".

Revista de Cultura - Você tem ídolos na dublagem?

Silvio Navas - Tenho sim. Borges de Barros e Newton Da Matta
(que fez as dublagens do Lion no desenho dos Thundercats, David Banner no seriado Hulk e Bruce Willis em vários filmes), entre os que se foram e Sumara Louise, Gessy Fonseca e Angela Bonatti, que "benditos os céus", ainda estão conosco.


Revista de Cultura - Tem algum personagem que você gostaria de dublar e ainda não teve oportunidade?

Silvio Navas - Claro que existe...todos os que não dublei até hoje...(Risos).

Revista de Cultura - Qual foi o personagem ou voz mais difícil de fazer?

Silvio Navas - Aí sim, entra o Mumm-ra por ter sido desgastante em cada episódio de dublagem. Mas, não foi fácil dublar "O Prisioneiro de Zenda", onde Peter Sellers fazia dois papéis e onde um personagem trocava o "r" pelo "l", como em - Boa noite, senhola, é um plazer encontlá-la aqui.

Revista de Cultura - As pessoas lhe reconhecem na rua quando ouvem sua voz? Como você lida com isso?

Silvio Navas - Já tive um tempo de ser reconhecido, por trabalhar em novela. Interpretava um médico que tomava "bolinha" e deixava o paciente "aberto" em cima da mesa de operações. Participei de "Redenção" e morri bêbado na delegacia. Mas, eles conheciam meu rosto. Hoje, quando vou comprar alguma coisa e o(a) atendente escuta minha voz, fica me olhando como que pensando - de onde é que eu conheço esse gordo?(risos). No final sempre chegam a conclusão que conhecem a voz. Aí a gente abre o jogo e faz a vontade, né?

Revista de Cultura - Quando dublou o Mumm-ra e o Papai Smurf tinha idéia da repercussão que os personagens teriam?

Silvio Navas - Na verdade nunca me preocupei com isso, pois primeiro "me" fazia contente e quando você se entrega pra ficar contente, se entrega 100% e a repercussão primeira vem d'alma.

Revista de Cultura - É verdade que você fez a voz do Mumm-ra em uma festa de criança, sem que soubessem que você era dublador e elas se assustaram? Conte essa história...

Silvio Navas - É verdade. Somos convidados até para festinha de criança. O pai nos contrata e chegamos lá como um amigo do dono da casa, que já conhecemos previamente. Tomamos uns uísques, jogamos conversa fora, damos uns autógrafos e ficamos por ali à disposição do contratante. Numa dessas festinhas, o pai do aniversariante me chamou para uma sala de luz estroboscópica e disse - imita o Mumm-ra aí no microfone. Eu disse - acho melhor não...mas ele insistiu e pediu para a meninada virar de costas para nós e me anunciou. - Agora com vocês uma pessoa, que eu tenho certeza que vocês conhecem dos desenhos animados...não se virem, apenas ouçam, e lá fui eu - Antigos espíritos do mal, patati patatá, e quando chegou no grito, WOOOOOOWWWWWWW, a voz estourou no recinto e foi criança chorando pra tudo que é lado. Coisas de Mumm-ra...

Revista de Cultura - Alguém já lhe pediu para ligar para os filhos ou amigos fazendo algum personagem dando parabéns ou chamando a atenção de alguma "arte" que a criança tenha feito?

Silvio Navas - Inúmeras vezes, e, é verdade, até gosto. Me divirto com isso. As vezes, aquilo que se faz por prazer vale muito mais do que um polpudo cheque.

Revista de Cultura - Qual conselho que você daria para pessoas que gostam de fazer imitação e que gostariam de entrar para o mundo da dublagem?

Silvio Navas - Primeiro, vamos deixar claro esse negócio de imitar. Eu não consigo imitar bem, ninguém. Nunca imitei o Silvio Santos, nem o Jô, nem o Faustão, muito menos, meu presidente Lula. Então, posto isto, concluímos que para dublar não é necessário saber imitar personagens famosos. O que é necessário? Bom, você tem que ser um ator para poder dublar profissionalmente. Mas para você se apresentar numa casa de dublagem, para dublar profissionalmente, é necessário que você tenha feito um curso de dublagem, onde tenha aprendido tudo sobre dublagem, porque desde o primeiro dia de dublagem você já vai fazer jus ao seu cachê/horário profissional. Ninguém vai querer lhe ensinar nada no dia, você tem que chegar pronto, sem atrasar o expediente. Meu conselho, então, fica assim: procure uma escola superior de arte dramática (aquela que fornece subsídios para o SATED lhe outorgar o famoso DRT), mas ao mesmo tempo, procure um curso livre de dublagem para que quando terminar o curso de arte dramática você já tenha prática e conhecimento geral da profissão dublatícia. Se você mora em Sampa ou Rio, por certo vai encontrar bons cursos de dublagem. Se mora em Santos, venha freqüentar o meu. E se mora em qualquer cidade do Brasil, que não seja uma praça de dublagem (Rio e Sampa), me pergunte, pelo email: silvionavas@terra.com.br , a respeito de meu Curso Livre de Dublagem Itinerante. Abraço, saúde, paz, luz e até...

Clique aqui e veja Silvio Navas interpretando o vilão Mumm-ra

Nenhum comentário:

Postar um comentário