terça-feira, 18 de maio de 2010

Exclusivo:

Por: Ricardo Bello
Foto: Divulgação

Ele é admirado em todo Brasil, já gravou CD, fez participações em cinema, atuou em novela, sua fama fica cada vez maior, mas não perde uma característica marcante: sua simplicidade.

Conversamos com exclusividade com o cantor Daniel. Ele nos fala de solidariedade, fãs, trabalho e muito mais. Confira:

Revista de Cultura - Daniel, você começou a desenvolver seu interesse pela música ainda criança. Sua família dava apoio para seguir a carreira musical naquela época?

Daniel -Sempre tive o apoio da minha família, desde que comecei a dar os primeiros sinais de que gostava de cantar. Meu pai foi um grande incentivador e inclusive me presenteou com o primeiro violão, aos 8 anos.

Revista de Cultura - Você faz trabalhos sociais aliados a música, tem o Daniel Futebol Clube, também é padrinho do Teleton. Esse tipo de trabalho ajuda os fãs e também outros artistas a serem mais solidários?

Daniel - Eu faço aquilo em que acredito. Acredito na solidariedade, no engajamento das pessoas para ajudar quem precisa mais. O Daniel Futebol Clube foi um projeto que existiu por cerca de 10 anos, arrecadou muito para as cidades que receberam o time em mais de 160 jogos. O Teleton já faz parte da minha vida há muitos anos. Já tem a data reservada na agenda sempre para poder participar desse projeto maravilhoso porque conheço o trabalho da AACD e fico feliz em poder somar um pouco. Meu DVD Raízes terá parte da renda revertida a hospitais de câncer como o de Barretos.

Revista de Cultura - Recentemente você participou do "Emoções Sertanejas" ao lado do Rei Roberto e já cantou também ao lado do Julio Iglesias. Como foram as experiências de cantar com eles?

Daniel - Cantar com ídolos são sonhos realizados; é nesse momento que a gente entende mais os nossos fãs, porque passamos pela mesma emoção ao estar ao lado de um ídolo. A experiência foi maravilhosa e vou guardar isso pra sempre no meu coração e na minha memória.

Revista de Cultura - E nas horas vagas? O que gosta de fazer?

Daniel - Gosto de jogar bola, de curtir minha terra natal, minha casa, e atualmente, minha filha. É muito bom quando tenho um tempinho pra ficar com ela.

Revista de Cultura - Já passou por alguma situação engraçada com fãs? Aquela coisa de entrar no quarto e encontrar fã debaixo da cama, atras da cortina?

Daniel - Já passei por várias situações engraçadas; uma vez uma fã entrou no camarim e me pediu um beijo na boca na frente de todo mundo. Fiquei com vergonha, disfarcei, tentei explicar pra ela que não era assim e tal...(risos)

Revista de Cultura - Alguns humoristas e cantores já o imitaram na TV. Já viu alguma dessas imitações? O que achou?

Daniel - Já vi sim, e acho o trabalho de humoristas algo muito difícil. Admiro quem consegue fazer isso tão bacana que acaba sendo um orgulho pra quem está sendo imitado.

Revista de Cultura - E falando em fãs, você recebe vários presentes pelo Brasil afora com seus shows. É verdade que tem um lugar onde guarda as lembranças recebidas?

Daniel - Tenho sim, na casa da minha mãe há um salão especial pra isso. Ela cuida de tudo lá, guarda, arruma, limpa...é um lugar especial pra mim porque ali tem muito carinho reunido!

Revista de Cultura - Já pensou em investir também na carreira internacional? Gravar músicas em inglês e outros idiomas?

Daniel - Eu já fiz um projeto em espanhol e foi muito bacana, mas meu foco é o nosso país mesmo. Acho que o mercado aqui é muito grande e ainda há muito a ser desbravado!

Revista de Cultura - O espaço é seu. Mande uma mensagem para os nossos leitores...

Daniel - Gostaria de agradecer pelo carinho de poder falar um pouco mais de mim pra vocês, e dizer que chegou às lojas o CD e DVD Raízes, um projeto lançado pela Som Livre que reúne canções que marcaram a minha trajetória e 3 músicas inéditas, uma delas inclusive já está tocando no rádio – Tenho que sonhar. É um trabalho feito com muito carinho e espero que as pessoas gostem. Obrigado, abraços!

Nenhum comentário:

Postar um comentário