terça-feira, 25 de setembro de 2018

“Viva Caymmi” com Danilo Caymmi, no Festival Teatro em Movimento

Espetáculo tem única apresentação em Belo Horizonte
Foto: Armando Paiva
O Festival Teatro em Movimento traz a Belo Horizonte o espetáculo dramático-musical “Viva Caymmi”. Idealizado pelo seu filho Danilo Caymmi, em parceria com o diretor musical Flávio Mendes e o ator Nilson Raman, o espetáculo é uma homenagem ao grande Dorival Caymmi  nos 10 anos de sua morte. A montagem, mais que levar as canções do músico baiano para o palco, conta as suas histórias. “Viva Caymmi” terá única apresentação no dia 6 de outubro, sábado, às 20h, no Teatro do Centro Cultural do Minas Tênis Clube.  

“Viva Caymmi” chega à capital mineira em uma realização do Festival Teatro em Movimento com o patrocínio do Instituto Unimed BH, via Lei Federal de Incentivo à Cultura. 

As pessoas conhecem as músicas de Caymmi, pois são muitos e muitos sucessos, influenciando e sendo referência para várias gerações de artistas. Mas as pessoas conhecem pouco as suas histórias. Como foi começar em Salvador, como foi chegar ao Rio de Janeiro, as amizades e parcerias que criou durante sua vida. O marido, o pai, o amigo, o músico, o artista multifacetado, sua forma única de olhar a vida e as pessoas, sua permanente fonte de inspiração. 

O espetáculo tem sua base estruturada num storytelling, palavra em inglês que está relacionada com uma narrativa e significa a capacidade de contar uma história, especialidade do ator Nilson Raman, que nos últimos vinte anos foi idealizador e Mestre de Cerimônias dos espetáculos da atriz Bibi Ferreira, já tendo contado as histórias de Piaf, Amália, Gardel e Sinatra, ao lado da grande diva.

A pesquisa de texto e a direção musical são do músico Flávio Mendes, parceiro de muitos anos tanto de Danilo como de Nilson. Com Danilo são mais de 11 anos como arranjador e músico; e com o Nilson Raman, foi o maestro e diretor musical nos últimos 14 anos dos espetáculos de Bibi Ferreira.


Em 60 anos de carreira, Dorival Caymmi compôs sobre os hábitos, costumes e tradições do povo baiano. Foram mais de 20 discos gravados. No repertório de “Viva Caymmi” estão 21 dessas canções, incluindo Promessa de Pescador/Noite de Temporal de Pescador (Dorival Caymmi); A Jangada Voltou Só , O Vento, A Lenda do Abaeté, Saudade de Itapoã, Pescaria, O Mar (Dorival Caymmi); O que é que a Baiana Tem (Dorival Caymmi); O Samba da Minha Terra / Vatapá /Acontece Que Eu Sou Baiano (Dorival Caymmi); Marina /Nem Eu (Dorival Caymmi); Maracangalha (Dorival Caymmi) entre outras. 

Danilo Caymmi

Caçula de Dorival Caymmi e da cantora mineira Stella Maris, Danilo Caymmi, hoje com 70 anos, começou a estudar flauta aos 15 anos, época em que também aprendeu a tocar violão com o irmão Dori. Cantor, compositor, flautista e arranjador, integrou a Banda Nova, de Tom Jobim, em turnês nacionais e internacionais, participando da maioria dos arranjos. Compôs trilhas sonoras para novelas e seriados da televisão brasileira e participou de inúmeras gravações com grandes nomes da música. Barítono de uma família de vozes marcantes capaz de igualar-se ao baixo do pai Dorival Caymmi quando emposta a voz ou ao registro da mãe Stella Maris quando aveluda, Danilo é hoje um dos mais importantes cantores da MPB. Possui dezenas de sucessos, incluindo “Andança” e “Casaco Marrom”. Lançou diversos álbuns, sendo o primeiro, em 1973, em conjunto com Toninho Horta, Novelli e Beto Borges, que depois virou um clássico.

Ficha Técnica:
Idealização e Direção artística: Nilson Raman / Direção musical e Arranjos: Flavio Mendes / Roteiro: Danilo Caymmi, Flavio Mendes e Nilson Raman / Solista: Danilo Caymmi / Mestre de Cerimônias: Nilson Raman / Produção Executiva: Cleusa Amaral/ Realização: Raman Entretenimentos E Flecha De Prata/ Realização em Belo Horizonte:  Festival Teatro em Movimento, com o patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio da lei Federal de Incentivo à Cultura.

“Viva Caymmi” , com Danilo Caymmi 
Duração: 1h40 minutos / Classificação: 12 anos
Dia/Horário: 
6 de outubro – sábado, às 20h
Ingressos: R$50 (inteira) e R$25 (meia-entrada).
Teatro do Centro Cultural do Minas Tênis Clube:Rua da Bahia 2244 - Lourdes – Belo Horizonte - MG
Telefone: 31 3516-1360
Capacidade do teatro: 602 lugares
Horário da Bilheteria: de segunda a sábado, das 12h às 20h; e domingo, das 12h às 19h.
Vendas online: http://www.eventim.com.br

INSTITUTO UNIMED-BH – 15 ANOS

O Instituto Unimed-BH, agente de responsabilidade social da Cooperativa, comemora, em 2018, 15 anos de presença em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Nesse período, realizou projetos sociais locais e levou mais cultura para toda a população. Os projetos desenvolvidos têm foco em cinco diretrizes: Comunidade, Meio ambiente, Voluntariado, Adoção de espaços públicos e Cultura. Os resultados da atuação do Instituto são expressivos: por meio do Programa Cultural, que conta com o incentivo de 4.565 médicos cooperados e colaboradores, foi possível viabilizar 67 projetos culturais por meio de leis de incentivo à cultural, beneficiando mais de 1,3 milhão de pessoas somente no ano passado.

SOBRE O FESTIVAL TEATRO EM MOVIMENTO

O Festival Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, completa 17 anos, em 2018, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para Belo Horizonte que tornou-se, ao longo do tempo, praça relevante para a apresentação de importantes repertórios. Além disso, o projeto também atua em outros Estados e o outras cidades. Desde então, contabiliza 277 montagens, que somam mais de 552 apresentações, envolvendo cerca de 600 artistas, em 14 cidades, 27 teatros e público superior a 792.799 mil pessoas.

Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, o projeto trouxe à capital mineira e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Bibi Ferreira, Lázaro Ramos, Tais Araújo, Selton Mello, Renata Sorrah, Thiago Lacerda, Grace Passô, Débora Falabela, Yara de Novais, Mateus Solano, Glória Menezes, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lombardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, Paulo Gustavo, Julia Lemmertz e muitos outros. Dentre os espetáculos que o projeto deslocou para a capital mineira estão “Hamlet”, “Incêndios”, “Esta Criança”, “Gonzagão –a Lenda”, “Bibi Ferreira –Histórias e Canções”, “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf”, “O Grande Circo Místico”,  “New York, New York”, “Bem-vindo, Estranho”, “Milton Nascimento –Nada SeráComo Antes”, “Cassia Eller –o Musical”, “Azul Resplendor”, “Poema Bar”e muitos outros.

O Festival também já atuou em outras cidade brasileiras, como São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú(SE), Corumbá(MS), São Paulo (SP), Mangaratiba (RJ), Canaãdos Carajás.(PA) Em Minas Gerais, além de Belo Horizonte, o projeto atua ou já atuou em Imperatriz, Açailandia, Parauapebas, Mangaratipa, Itabirito, Mariana, Ourilandia, Ouro Preto, Araxá, Tiradentes, Betim, Contagem, Ipatinga, Nova lima e Juiz de fora. Os resultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia é consolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetáculos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais. O teatro, sendo um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultural do teatro e colocar em prática os objetivos do Festival Teatro em Movimento ainda promove, sempre que possível, oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário