quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Áurea Camelo apresenta exposição Desmemórias na galeria de arte da Biblioteca Pública

Obras podem ser visitadas até o dia 26 de setembro em BH
Foto: Reprodução
Memória, passagem do tempo e esquecimento. Esse foi o caminho percorrido pela artista plástica Áurea Camelo ao criar as obras que compõem a exposição “Desmemórias”, em cartaz na Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães da Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais. A mostra conta com uma sequência de 14 pinturas, criadas em óleo ou acrílica sobre tela, em formatos variados.  A artista busca nos álbuns de família e em fotografias recolhidas de seu acervo pessoal as imagens que serão trabalhadas em suas pinturas, e passa para a tela, pictoricamente, o seu repertório de lembranças e a poética do esquecimento. A mostra, com entrada gratuita, fica aberta à visitação até 26 de setembro.
A exposição aborda o inevitável processo de apagamento da memória. Em suas telas, Áurea Camelo acentua a efemeridade das imagens e limpa das figuras os traços de representação naturalista que as personifiquem ou lhes confiram identidade: os rostos estão sem formato definido, como se estivessem sido desconstruídos pelo tempo. Segundo a artista, a intenção não é representar a memória apenas como uma tentativa de conservação da lembrança e de tudo que ela significa. “Meu trabalho traz para o plano da plasticidade da pintura a questão da impermanência, da transitoriedade, da escassez do tempo e da mistura entre o esquecimento e recordação. Dessa forma, o que de início seria chamado por ‘memória’ passou melhor a se identificar como des-memória”, explica.
A escolha do tema da série veio de maneira natural para a artista a partir de cenas do cotidiano, que provocaram o desejo de pintura e partiram de escolha feita em coleções de fotografias já existentes ou recentemente produzidas. A técnica utilizada propôs-se a ser aberta a experimentações, assim como os suportes. “O nome que encontrei para minha pesquisa de trabalho somou-se ao desvanecimento, à opacidade e à textura das tintas para representar aquilo que, acontecido, já se torna passado, e mas retorna em cor, camadas e movimentos, compondo o plano pictórico”, conta Áurea.
Áurea Camelo
Cursou Artes Plásticas na Escola Guignard da UEMG, habilitando-se em Pintura em 2016, e é também formada em Psicologia pela UFMG. Premiada nas XV e XVI Mostras Internas da Escola Guignard, participou, na Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais e em sua Passarela Cultural, das Mostras Coletivas Esper[ando] e Alter[ando]. Participou do 15º Salão de Arte Contemporânea de Guarulhos/2016 e recebeu menção honrosa com a obra Menina Lego. Em 2017, apresentou Desmemórias na Faop de Ouro Preto.
Desmemórias é sua primeira mostra individual em Belo Horizonte com a apresentação de novos trabalhos. Em outubro, Áurea participa do XXV Salão Curitibano de Artes Visuais.
Exposição “Desmemórias”, de Áurea Camelo, na Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais
Até 26 de setembro de 2018
De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h; Sábado, das 8h às 12h
Entrada gratuita
Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais – Galeria de Arte Paulo Campos Guimarães 
Praça da Liberdade, 21, Funcionários - Belo Horizonte/MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário