segunda-feira, 22 de abril de 2019

Sesc divulga programação da ‘Semana Nacional do Choro’

Pelo terceiro ano consecutivo o Sesc, integrado ao Sistema Fecomércio MG, Sesc e Senac, realizará a Semana Nacional do Choro. Diversas atrações estão previstas entre os dias 26 e 28 de abril, em diferentes endereços da boemia mineira. O objetivo é valorizar, reconhecer e incentivar toda a cadeia em torno desse movimento artístico cultural. O projeto é realizado com apoio a Associação Clube do Choro de Belo Horizonte e da Globo Minas.

Neste ano, a Semana Nacional do Choro homenageará a flauta e o Sesc convida flautistas mulheres, representantes de todas as gerações de Belo Horizonte e do Brasil, para uma celebração à música. Assim como no ano passado, o encerramento do evento contará com umMinas ao Luar especial e terá transmissão ao vivo pela Rádio Itatiaia no programa A Hora do Coroa, com o radialista Acir Antão.

PROTAGONISMO FEMININO

O grande destaque da programação é a flautista Odette Ernest, nome importante da história do choro no Brasil e que tem notória representatividade neste estilo musical prioritariamente masculino.

Marie Thérèse Odette Ernest Dias (Paris, 2 de fevereiro de 1929) é uma concertista e flautista francesa chegou ao Brasil aos 20 anos para integrar a Orquestra Sinfônica Brasileira e a Orquestra Sinfônica Nacional, participou de momentos importantes da história musical do Brasil, e dedica-se até hoje à pesquisa e ensino de música, além das atividades como instrumentista.

Naturalizada brasileira, Odette Ernest estudou flauta transversal, história da música e estética no Conservatoire National Superieur de Paris, onde obteve em 1951 o primeiro prêmio em flauta e a primeira medalha de estética. Conquistou por unanimidade a primeira medalha de flauta no Concurso Internacional de Genebra (Suíça) e, em 1952, a convite do maestro Eleazar de Carvalho, veio para o Brasil para tocar na Orquestra Sinfônica Brasileira, permanecendo até 1969.

Fez parte das orquestras da Rádio Tupi, da Rádio Mayrink Veiga, da Rádio Nacional e da TV Globo. Participou de gravações com inúmeros artistas da música popular, inclusive da histórica gravação, em 1958, de músicas de Tom Jobim por Elizeth Cardoso. Exerceu as funções de solista de orquestra, recitalista e camerista, sendo inclusive fundadora da Camerata do Rio. Atuou como professora do Conservatório Brasileiro de Música e dos Seminários de Música Pró-Arte (RJ).

De 1974 a 1994, residindo em Brasília, foi titular da Universidade Federal de Brasília por notório saber, atuando como professora de flauta, estética e musicologia. Atuou também como professora visitante da Universidade do Texas, em Austin, nos Estados Unidos, em 1982; como professora visitante na Universidade Federal de Minas Gerais em 1992; e como professora convidada pela Fundação de Educação Artística em Belo Horizonte.

Mãe dos instrumentistas Carlos, Jaime, Elizabeth, Cláudia e Andréa Ernest Dias, toca frequentemente em duo com Elza Kazuko Gushikem (piano), com Jaime Ernest Dias (violão), Roberto Rutigliano (bateria) ou Bridget Moura Castro (piano).

A PROGRAMAÇÃO

A participação em todas as apresentações é gratuita e não haverá cobrança de couvert nos estabelecimentos. Cada casa participante receberá grupos, artistas e representantes do choro que se destacam na cena mineira e nacional. Belo Horizonte é uma referência no país quando o assunto é música instrumental.

Mesmo sendo um ritmo tipicamente carioca, a capital mineira também é um reconhecido berço de ‘chorões’, como são carinhosamente conhecidos os músicos do segmento. Entre os grupos escalados para as apresentações estão: Clube do Choro de Belo Horizonte, Túlio Araújo e Choro Amoroso, os flautistas Bruno Teixeira, Pedro Alvarez, Marcelo Chiaretti, Mariana Bruekers e Raíssa Anastásia e a Orquestra Já te Digo. O encerramento do evento, no dia 28 de abril, na Praça Duque de Caxias, em Santa Tereza, contará com um Minas ao Luar especial com o Grupo do Clube do Choro de Belo Horizonte que convida Odette Ernest, Andrea Ernest, Alexandre Romanazzi, Mariana Bruekers, Raissa Anastásia e Pedro Alvarez para a homenagem ao instrumento da flauta.

Confira abaixo a programação detalhada:

- Dia 26/04, de 18h30 às 21h30 – Bar Dalva Botequim Musical (rua Ceará, 1548 – Savassi - Belo Horizonte/MG)

Túlio Araújo e Choro Amoroso convidam o flautista Bruno Teixeira

Túlio, que não esconde sua base musical vinda do Baião de Luiz Gonzaga e do Rojão de Jackson do Pandeiro, teve seu real contato com o Choro em 2015, quando morando na Califórnia precisou realmente aprender as artimanhas do estilo para pagar suas contas. Desde então, vem percebendo algo comum em todas as rodas: o Pandeiro, mesmo sendo um dos instrumentos imprescindível para que elas aconteçam, é também o instrumento menos explorado. Foi assim que teve a ideia de juntar, num septeto, cabeças musicais pensantes de diferentes vertentes, unindo-se para criar uma nova roupagem do Choro, absorvendo influências como o Jazz, o Baião, o Soul, o Blues e a música afro-brasileira.

Clube do Choro de Belo Horizonte convida a flautista Mariana Bruekers

O Clube do Choro de Belo Horizonte tem as suas origens nas reuniões semanais das quintas-feiras, no Bar do Bolão, no bairro Padre Eustáquio, onde vários músicos, amadores e profissionais, se reúnem, desde 1993 até hoje, em maravilhosas rodas de choro, abertas a todos os apreciadores de boa música, bom papo, agradável convivência, regadas a cervejas geladas. O grupo se mantém como uma instituição totalmente voltada para o incentivo e a divulgação da música – e em especial, o gênero choro – através de atividades de instrumentistas, compositores e intérpretes, que se dedicam ao estudo e apresentações de audições musicais em casas de espetáculos, praças, bares e espaços culturais. Nestes 12 anos de existência a instituição vem se apresentando regularmente em praças e teatros da cidade, estado e até do exterior. Em 2018 já foram realizadas 48 apresentações. O presidente da instituição é o radialista Acir Antão que, também, comanda, no papel de mestre de cerimonias, as apresentações do grupo de choro sempre com sucesso de público e alta qualidade artística.

Mariana Bruekers

Possui mestrado em Pedagogia Musical pelo Royal Conservatoire/ Holanda, graduação em Licenciatura em Música e Bacharelado em Flauta Transversal pela Universidade Federal de Minas Gerais. Como Flautista foi vencedora do Jovem Músico BDMG em 2008 e 2010.
Participou de diversos festivais como Festival de Choro de Paris (França, 2015), Festival Internacional de Flautistas (Holanda, 2015), Breda Jazz Festival (Holanda, 2014), Viva Brasil Festival (Holanda, 2014), Festa da Música (Belo Horizonte, 2010). Integra os grupos: Trio Bola Preta (com o qual gravou o CD "Saideira", em 2014, e "Chorando pelo Mundo", em 2019), Flutuar Orquestra de Flautas (com a qual gravou o CD "Flutuar no Horizonte", em 2010), a Banda Sagrada Profana e o Coletivo Abre a Roda: Mulheres no Choro.

- Dia 27/04, de 17h às 20h -  Quarteirão fechado da Praça da Savassi

Orquestra Já te Digo convida Flautista Marcelo Chiaretti

A Orquestra Já te digo é uma orquestra com som de banda de música que passa com tuba e flautim, bombardino, trompetes, clarinete e sons de violão e cavaquinho, percussão, bateria e muitos cantos e melodias. Trata-se de um trabalho inédito em Minas Gerais e procura fazer reverberar as pesquisas de reatualização do acervo musical brasileiro de forma autônoma e criativa. Criada em 2016 e desde então atuando na cena, participando de shows, trilhas, concertos e apresentações na rua, a Orquestra é formada por músicos e musicistas de extensa atividade no campo da música brasileira, seja no choro, no samba, como nas bandas militares, orquestras sinfônicas e conjuntos de jazz e gafieiras.

Marcelo Chiaretti

Marcelo é compositor, arranjador, flautista e professor de música. Formado em composição pela Universidade Federal de Minas Gerais, com mestrado pela Universidade Paris 8 em Musicologia, Criação e Sociedade e doutorado em finalização pela mesma instituição. Ampliou sua formação musical com importantes músicos do choro e do samba, da música instrumental e do jazz europeu assim como também com os mestres das bandas de pífanos do Nordeste, procurando se aprofundar nessas linguagens musicais. Como artista residente no projeto de Residências Musicais - Territórios de Invenção trabalhou ao lado da grande flautista Odette Ernest Dias fazendo pesquisas nos acervos históricos de Diamantina, ministrando aulas e criando arranjos para professores do conservatório e estudantes de música. Atualmente é professor da Fundação de Educação Artística de Belo Horizonte, escola em que trabalha desde 2002 e onde desenvolve trabalho como diretor musical e pedagógico no programa de bolsas - Projeto Música sem Barreiras.

Clube do Choro de Belo Horizonte convida Flautista Raíssa Anastásia

Raissa Anastásia é Mestre em Performance Musical (UFMG), Bacharel em Flauta Transversal (UEMG), Bacharel em Flauta Doce (UEMG) e Licenciada em Artes com ênfase em Música (UNIMONTES). Raissa também foi vencedora dos Prêmios Jovem Instrumentista BDMG (2005) e Jovem Música BDMG (2006). Raissa também teve como professores grandes nomes da Música Brasileira como Nailor Proveta, Itiberê Zwarg, Mauro Rodrigues, Carlos Malta, Dirceu Leite e Gilvan de Oliveira. Na sua trajetória como Flautista, vem atuando e se destacando como uma grande intérprete de choro, frequentando as principais rodas de choro mineiras e festivais de choro pelo Brasil.

- Dia 28/04, de 9h às 13h – Minas ao Luar especial na Praça Duque de Caxias (Santa Tereza)

Clube do Choro de Belo Horizonte convida o flautista Pedro Alvarez (Cabral)
Desde 2010, Cabral apresenta-se como flautista, sempre tendo o choro como principal referência. Formou-se nas rodas de Choro de Belo Horizonte, dentre as quais se destaca a que acontece no Bar do Salomão desde 2009, no bairro Serra. Participou de vários eventos culturais e apresentações em diversas cidades como: Tiradentes, Ouro Preto, Belo Horizonte, Betim, Contagem, Visconde do Rio Branco, São Luís do Maranhão, Porto Velho, Guajaramirim e Lisboa.

Nesses encontros conheceu vários músicos e passou por diversos grupos de Choro, primeiramente nos conjuntos Canela de Ema e Horas Vagas e, posteriormente, o Conjunto Isto é Nosso, Regional do Salomão e Regional da Serra. Apresentou-se em eventos e rodas de choro com alguns consagrados músicos como Zé da Velha e Silvério Pontes, Paulão 7 cordas, Hamilton de Holanda, João Camarero, Paulinho Pedra Azul, Antônio Rocha, Regional Imperial, Eduardo Neves, Yamandu Costa, dentre outros.

Choro da Mercearia convida flautista Alexandre Romanazzi

O grupo Choro da Mercearia é composto por músicos reconhecidos na cena mineira: Sílvio Carlos (7 cordas), Raíssa Anastásia (flauta), Marcos Ruffato (bandolim), Du Macedo (cavaco) e Analu Braga (pandeiro). Surgido em 2017, com apresentações semanais na extinta Mercearia Maria Flor, no bairro Santa Tereza, as rodas sempre foram marcadas por um clima leve e animado, e ainda acontecem semanalmente, às terças-feiras, no Butiquim do Walter com crescente adesão da classe musical mineira e do público.

Alexandre Romanazzi

Gravou com grandes nomes da MPB, tais como Nelson Sargento, Monarco, Herivelto Martins, Moreira da Silva, Carmem Costa, Jamelão, Mário Lago, Beth Carvalho, Dona Ivone Lara, Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, Martinho da Vila, Braguinha, Carlos Poyares, Altamiro Carrilho, Guilherme de Brito, Mestre Marçal, Zeketi, João Nogueira, Délcio Carvalho, Noca da Portela, Ney Lopes, Wilson Moreira, Elton Medeiros e Zezé Gonzaga entre outros. Fez parte da Banda do Luiz Melodia com o show Estação Melodia, do espetáculo Histórias de Um João de Barro da Bia Bedran, do Conjunto Samba Bom e do Conjunto Instrumental Pé-de-Moleque. Hoje faz parte do Conjunto Forró do Kiko, Grupo Folclórico e Carnavalesco Cordão do Boitatá, Conjunto Gafieirando e do Coletivo Choro Na Rua, que se apresenta em praças e nas ruas do Rio de Janeiro e de todo o Brasil.

Andrea Ernest

Durante 28 anos foi flautista solista da Orquestra Sinfônica Nacional–UFF (1991 a 2019). Atualmente integra os grupos Trio 3-63, Abstrai Ensemble, Banda Ouro Negro, Carlos Malta & Pife Muderno e o Duo Andrea Ernest Dias & Elodie Bouny. Fez parte da Orquestra Pixinguinha e Orquestra de Música Brasileira, do Quinteto Pixinguinha e da Banda de Câmara Anacleto de Medeiros. Doutora em flauta pela Universidade Federal da Bahia e autora do livro Moacir Santos, ou os Caminhos de um Músico Brasileiro (Edições Folha Seca/CEPE, 2014/2016). Idealizadora e diretora artística do Festival Moacir Santos.

Semana Nacional do Choro
Data: 26 a 28/04/19
A participação é gratuita e não haverá cobrança de couvert nos estabelecimentos

Informações para o público: (31) 3270-8100

Nenhum comentário:

Postar um comentário