quinta-feira, 2 de agosto de 2018

‘Campo das Palestras Sesc’ é um dos destaques na Casacor Minas

O vertiginoso crescimento do e-commerce no Brasil sugere um reposicionamento na relação entre clientes e os espaços de consumo. A necessidade e o desejo de repensar os ambientes do comércio nos dias de hoje, além da oferta de conteúdos interdisciplinares - que  dialogam e aproximam o público de aspectos centrais da cultura, são os principais pontos que levaram o Sesc a participar, pela primeira vez, da Casacor Minas.

Em sua 23ª edição, a mostra será realizada pelo segundo ano consecutivo dentro do Conjunto Arquitetônico da Praça da Estação, a matriz da extinta Rede Ferroviária Federal S/A – RFFSA, em Belo Horizonte. Desta vez ocorre de 7 de agosto a 16 de setembro. O tema deste ano é ‘A casa viva’ e foi proposto com a intenção de pensar a casa como refúgio físico, mental e espiritual, além da sua forte relação com a natureza, entendendo o contato com o meio natural como algo necessário para a boa saúde.

A partir desse norte, uma diversificada programação foi estruturada para receber diferentes públicos em um espaço único, o Campo das Palestras Sesc, que terá vários convidados especiais que irão relatar suas experiências e permitir reflexões acerca de temas como arquitetura de interiores, arquitetura e tecnologia e configurações de espaços do trabalho e de centros culturais.

O ambiente, assinado pelo Sesc, foi elaborado pelos criadores do Guaja, um espaço multifuncional bastante conhecido em BH e por integrantes do escritório Dobra Arquitetura, formado por um grupo de arquitetos que atua em diversas áreas, que vão desde projetos culturais e cenográficos até obras residenciais e comerciais. 

Concebido a partir da ideia de movimento e flexibilidade o Campo das Palestras Sesc surgiu da proposta de quebrar a rigidez usual estabelecida entre palco e plateia, priorizando muito mais a troca de informações entre os participantes do que a tradicional noção de transmissão de conhecimento.

O lugar e seu mobiliário foram desenhados e dispostos para gerar encontros de vários tipos e em diversos momentos, seja entre as pessoas, fisicamente, ou por meio de conteúdos digitais, produzidos no decorrer do evento.

E grandes encontros não vão faltar. Já estão confirmadas 8 atividades no decorrer do perído de realização da Casacor Minas 2018. Entre os convidados estão figuras de renome do mercado de arquitetura e tecnologia como Marcelo Alvarenga, sócio do escritório Play Arquitetura e também da marca de design de produtos ALVA; Marcelo Tramontano, doutor em arquitetura pela FAU/USP e coordena o Nomads.usp: Núcleo de Estudos de Habitares Interativos, que tem foco no estudo dos espaços híbridos e nas interfaces entre arquitetura e diferentes áreas de conhecimento; e Mariana Sucupira e Isabela Vecci, personalidades conhecidas de Belo Horizonte, compõem um panorama diversificado cada uma com conhecimentos e atuações específicos.

Eles vão tratar de assuntos de grande interesse como arquitetura de interiores, casa personificada, casa galeria, casa afetiva, o futuro das habitações, espaços de trabalho além da relação dos Centros Culturais com a comunidade que os habitam e como a suas programações podem tornar esses espaços também Casa Viva. Confira a programação detalhada abaixo.

Após a realização desta edição da Casacor, parte da estrutura criada para o Campo das Palestras Sesc irá compor uma instalação artística aberta ao público para visitação, no Sesc Palladium, compondo o eixo curatorial Arte e Tecnologia, que ocorrerá de agosto a dezembro de 2018, reunindo artistas e pensadores locais, nacionais e internacionais, numa programação diversa e interativa.

A visitação à Casacor custa R$ 50 inteira e R$ 25 a meia e os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo tem 20% de desconto (R$ 35 e R$ 20). Para informações gerais sobre a Casacor Minas 2018 e a programação completa, visite o site do projeto, aqui.

Confira a programação do Campo das Palestras Sesc

• Novidades na programação estarão disponíveis em breve em guaja.cc/interior e no site do Sesc em Minas. 

7/8, terça-feira: Arquitetura e Arquitetura de Interiores
Marcelo Alvarenga (Play Arquitetura) e Daniel Mangabeira (Bloco Arquitetos)
Abordarão o tema Arquitetura de Interiores a partir do desenho arquitetônico dos espaços, refletindo sobre a importância e vocabulário dos elementos que compõem os ambientes, sejam eles de natureza arquitetônica, do design, da arte ou do paisagismo.
Marcelo Alvarenga é sócio do escritório Play Arquitetura e também da marca de design de produtos ALVA, trabalha na interseção destas expressões.
Daniel Mangabeira é sócio do Bloco Arquitetura, sediado em Brasília, tem se destacado no cenário nacional e internacional da arquitetura com projetos expressivos e bem desenhados nas áreas residencial e comercial.

14/8, terça-feira: Casa Personificada
Mariana Sucupira (stylist) e Isabela Vecci (Vecci Lansky Arquitetura)
O tema aborda o valor e a riqueza das expressões pessoais na Arquitetura de Interiores, tanto dos profissionais exercendo seu trabalho, como dos próprios moradores ou usuários na composição dos espaços privados.
As palestrantes, personalidades conhecidas de Belo Horizonte, compõem um panorama diversificado cada uma com conhecimentos e atuações específicos.

16/8, quinta-feira: Casa Galeria
Cláudia Dodd (Pé Palito) e Pedro Lázaro (Pedro Lázaro Arquitetura)
A força da arte na vida cultural das cidades e das pessoas bem como na economia tem refletido na arquitetura e nos ambientes domésticos, a ponto de algumas residências se transformarem em verdadeiras galerias. Como é viver nestes espaços hiper-estimulantes? Como a expressão da arquitetura dialoga com as obras de arte?
O cubo branco continua sendo o espaço ideal pra receber as artes plásticas?
Pedro Lázaro é um arquiteto de destaque no cenário nacional com grande intimidade com o universo das artes plásticas.
Cláudia Dodd é artista plástica de formação e proprietária da loja de móveis vintage Pé Palito. Transita no universo da arquitetura de interiores com extrema sensibilidade e embasamento teórico

23/8, quinta-feira: Espaços de Trabalho
Lucas Durães e convidado (O Guaja)
Sensibilidade e versatilidade são algumas das características necessárias na abordagem arquitetônica e humana das mais diversas necessidades e situações do cotidiano das pessoas — e, em especial, nos espaços de trabalho
Lucas Durães é arquiteto formado pela UFMG e proprietário do Guaja, um ambiente do mundo real e virtual que inspira ideias e conecta oportunidades, a partir de curadoria de conteúdo e design de conhecimento. Além das atividades de coworking, marketplace e café, promove cursos livres em diversas áreas tais como arquitetura, design, tecnologia, comunicação, design thinking, etc.  Seu contato com uma grande diversidade de áreas do conhecimento amplia sua visão e abordagem dos espaços de trabalho contemporâneos.

28/8, terça-feira: O Futuro das Habitações
Marcelo Tramontano (NOMADS.usp)
Qual é o futuro do interior das casas e apartamentos? Como as tecnologias perpassam esses ambientes? Quem comenta esse assunto é Marcelo Tramontano, doutor em arquitetura pela FAU/USP e coordena o Nomads.usp: Núcleo de Estudos de Habitares Interativos, que tem foco no estudo dos espaços híbridos e nas interfaces entre arquitetura e diferentes áreas de conhecimento.

06/09, quinta-feira — Casa Afetiva
Cidoca Nogueira (makeup artist) e convidados
O tema proposto aborda os espaços interiores pela ótica de não-arquitetos e não-decoradores. Quais os valores que interessam neste contexto? Como a arquitetura, o design e a arte são vistos pelos olhares de criadores de outras áreas?
Descrições completas e novidades na programação estarão disponíveis em breve emguaja.cc/interior. As palestras são gratuitas e acontecem sempre às 19h30, no Campo das Palestras da CASACOR Minas Gerais.

11/9, terça-feira: Centros Culturais em Debate
Janaína Melo Cunha (Sesc Palladium) e convidado
O foco deste encontro é compartilhar as experiências e os desafios de gestão dos Centros Culturais nos dias de hoje. Pensar em Centros Culturais que de fato se relacionem e dialoguem com a cidade e com a comunidade em que estão inseridos.

13/9, quinta-feira: Tecnologias Sociais e Práticas Culturais
Juliana Braga (Sesc São Paulo) e convidado
Reflexão sobre como as tecnologias sociais e a programação dos Centros Culturais podem humanizar esses espaços, os tornando vivos e convidativos para que o público possa interagir e se relacionar com esses ambientes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário