quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Clarice Niskier, em BH, com "A Alma Imoral"

Espetáculo tem única apresentação em Belo Horizonte
Foto: Divulgação
A adaptação de Clarice Niskier, do polêmico livro do rabino Nilton Bonder, A Alma Imoral, traz à tona o debate entre o que é certo e o que é errado, o contraponto entre tradição e traição, o conceito e a prática do que é moral e o que é imoral, obediência e desobediência. Desde 2006, Clarice vem se apresentando nos mais variados espaços culturais do país,  sendo indicada nas categorias de Melhor Atriz, Melhor peça e Melhor Figurino ao Prêmio Eletrobrás de Teatro (2006).
No ano seguinte, teve duas indicações ao Prêmio Shell (melhor atriz e melhor figurino), vencendo na categoria de Melhor Atriz. Também em 2007 conquistou os prêmios Caixa Cultural e Caravana Funarte de Circulação Nacional de Teatro. Em 2008, ganhou o Prêmio Qualidade Brasil de Melhor Atriz. A Alma Imoral já esteve em mais de 30 cidade brasileiras e vai estar em BH no dia 09 de novembro, sexta, no Cine Theatro Brasil Vallourec completando a agenda da Mostra de Teatro. O espetáculo terá tradução para Libras - Língua Brasileira de Sinais e audiodescrição, como parte da estratégia de inclusão e acessibilidade da Mostra.  

Apesar do texto ser o mesmo, vários novos temas são levantados a cada apresentação que, também, provoca a interação do público. Há 12 anos encenando a peça,  a atriz conta que em cada montagem, que tem supervisão de Amir Haddad, ela é reinventada: “quando digo na peça que não há repetição é a pura verdade. Cada dia é um dia, pois a platéia também nunca se repete. Cada novo olhar significa a possibilidade de um novo entendimento que se abre em mim, mantendo a síntese teatral viva. Palavra que Amir Haddad gosta tanto de usar e que expressa tão bem a relação que tenho tido com a plateia: estamos nos ‘desarmando’ constantemente, pois o dia a dia tende a nos ‘armar’, ao invés de nos aproximar para nos ‘amarmos’ mutuamente.”

Durante o espetáculo, Clarice usa um tecido na cor preta e o transforma em várias vestes. Ela também se mostra nua em outros momentos. Em cada reflexão levantada por ela, um personagem é apresentado. No fim das contas, A Alma Imoral levanta a seguinte questão: a importância da transgressão e da legitimidade da imoralidade para a evolução do ser humano. 

Sinopse

A peça desconstrói e reconstrói conceitos milenares da história da civilização - corpo e alma, certo e errado, traidor e traído, obediência e desobediência. 

Sozinha no palco, Clarice Niskier está em contato direto com a plateia, sem fazer uso da chamada “quarta parede”. Para contar histórias e parábolas da tradição judaica, a atriz vale-se somente de uma cadeira phanton preta e um grande pano preto que, concebido pela figurinista Kika Lopes, transforma-se em oito diferentes vestes – mantos, vestidos, burcas, véus. O espaço cênico concebido por Luis Martins é limpo e remete a um longo corredor em perspectiva. 

Clarice optou por não trabalhar com uma direção teatral no sentido tradicional, mas com a supervisão de Amir Haddad, que já vem fazendo este trabalho com alguns atores. “Super-visão pode significar uma visão maior ou superior, capaz de desvendar coisa que outros olhos mortais não conseguiriam ver. Assim como o super-homem (citado no espetáculo) com sua visão de raio x. Mas também pode significar uma sobre-visão, uma visão de cima, das coisas que estão acontecendo. Por exemplo: ‘A terra é azul’ disse Gagarin, sobrevoando o planeta. O que eu faço com a Clarice, bela atriz, mulher corajosa, procurando o seu lugar, é tentar dar a ela a visão de quem está de fora, e às vezes de cima, para melhor poder entendê-la e orientá-la na manutenção de sua órbita. Me dá mais prazer observar e ajudar um ator no divino exercício do seu ofício do que inventar efeitos de som e luz e algumas marcações e depois anunciar: ‘o diretor’. Sonho com um ator dono do seu próprio texto e dessa maneira, capaz de iluminar o texto de outrem pelo embate de suas idéias.”, propõe Amir.

Mostra Cine Brasil Teatro e Música

Iniciativa do Cine Theatro Brasil Vallourec, a Mostra tem patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio do incentivo fiscal de médicos cooperados e colaboradores, e da Vallourec, ambos via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Além de primar pela qualidade artística dos espetáculos, a Mostra se destaca pela excelência técnica do teatro e pela experiência sempre marcante de visitar o prédio histórico em estilo Art Déco, com seus belos corredores, escadas e luminárias. Situado na Praça Sete, O Cine Theatro Brasil é um dos símbolos de Belo Horizonte e polo irradiador de cultura e lazer no centro da cidade.

Na edição de 2017, a Mostra teve mais de 12 mil pessoas presentes em suas atividades. Foram oito montagens teatrais e três shows musicais, alguns deles com duas apresentações, totalizando 19 datas de espetáculos. Dentre as atrações do ano passado, alguns destaques foram as peças Antígona, Morte Acidental de um Anarquista, 12 Homens e Uma Sentença, Depois do Amor, e os shows de Bebel Gilberto e Arnaldo Antunes. Neste ano: Geraldo Azevedo, O Pai, O Som e a Sílaba, Josephine Baker, O Palhaço e a Bailarina, Senhora dos Afogados e Canção do Amor (Totalmente) Demais, Num Lago Dourado, A Alma Imoral e Amor Profano.

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, há 15 anos, contribui com o desenvolvimento social em localidades de atuação da Unimed-BH. Para isso, desenvolve cinco grandes programas: Comunidade, Meio ambiente, Voluntariado, Adoção de espaços públicos e Cultura.

Por meio do Programa Cultural fomenta projetos em Belo Horizonte e na região metropolitana, contribuindo com o acesso à arte, cultura e lazer e com a geração de emprego e renda. Em 2017, mais de 1,3 milhão de pessoas foram beneficiadas pelo Programa, graças ao incentivo fiscal de mais de 4,7 mil médicos cooperados e colaboradores, via Lei Federal de Incentivo à Cultura. Saiba mais em www.institutounimedbh.com.br.

Espetáculo “A Alma Imoral” | Mostra Cine Brasil Teatro e Música

Data: 09 de Novembro às 21 horas

Local: Grande Teatro Unimed BH - Cine Theatro Brasil Vallourec

Endereço: Praça Sete - Belo Horizonte – MG

Ingressos: INTEIRA - R$ 50,00 | MEIA - R$ 25,00

Vendas:


Bilheteria Cine Theatro Brasil Vallourec ( Av. Amazonas, 315 – Centro)

Loja Eventim (Shopping 5ª Avenida: Rua Alagoas 1314 - Loja 20C– Savassi). Sujeito a taxa de conveniência.

Classificação: 10 anos

Duração: 90 minutos

Informações: (31) 3201-5211 – www.cinetheatrobrasil.com.br

Ficha Técnica

Autor do Livro “A Alma Imoral” – Nilton Bonder

Adaptação, Direção e Interpretação – Clarice Niskier

Supervisão de Direção Amir Haddad

Iluminação – Aurélio de Simoni

Figurinos – Kika Lopes

Cenário – Luiz Martins

Música Original – José Maria Braga

Realização Niska Produções Culturais

Não recomendado para menores de 18 anos.

Duração: 1h20min ou 80 minuto 

Nenhum comentário:

Postar um comentário