terça-feira, 6 de junho de 2017

Festival BB Seguridade de Blues e Jazz Chega a Belo Horizonte


Zeca Baleiro é uma das atrações do evento que acontece
em BH - Foto: Silvia Zamboni
Evento que reúne importantes artistas de blues e jazz, terá edições em seis capitais e atrai adultos e inclui ações para crianças.

A terceira edição do Festival BB Seguridade de Blues e Jazz, que começa no dia 3 de junho em Curitiba (PR), chega pela primeira vez a Belo Horizonte (MG) no dia 11 de junho (domingo), a partir das 11h, com entrada gratuita, na Praça JK. A programação mescla blues e jazz e conta com um line up incrível, além de eventos para as crianças.

O festival acontece ainda em Brasília, dia 24/06; São Paulo dia 1º/7; Recife, em 23/9 e Porto Alegre, em 30/9.

Os americanos Joe Louis Walker e Wallace Roney Quintetlendas respectivamente do blues e do jazz, e o brasileiro Zeca Baleiro, fazendo um inédito show de blues, são os principais destaques da programação. O elenco das próximas etapas será anunciado posteriormente.

O consagrado grupo carioca Blues Etílicos, o elogiado grupo mineiro O Bando e a contagiante Orleans Street Jazz Band e a reconhecida banda de mineira Wilson Lopes Trio completam o time dessa primeira etapa do festival.

Conceito

O evento foi criado com um conceito simples: um dia para curtir com a família e os amigos. Para que isso se concretize, os shows são sempre realizados em locais ao ar livre, com bons espaços para o convívio social, no melhor espírito “música no parque”.

 A terceira edição do Festival BB Seguridade vem cercada de grandes expectativas, especialmente se levarmos em conta os ótimos números contabilizados em 2016. Os shows atraíram: 15 mil pessoas em São Paulo; 20 mil em Brasília; 18 mil em Recife e 32 mil em Porto Alegre. Tal êxito levou ao acréscimo de mais duas capitais na programação de 2017, Curitiba e Belo Horizonte.

 Em 2015, em sua edição inaugural, o Festival BB Seguridade de Blues e Jazz contemplou São Paulo e Brasília com nomes como Stanley Jordan, Blues Etílicos e Nuno Mindelis, com ótima repercussão. Em 2016, tivemos Maria Gadú, Steve Guyger, Marco Lobo Quinteto e David Liebman e Toninho Horta, com etapas em São Paulo, Porto Alegre, Brasília e Recife.

Além de Curitiba e Belo Horizonte, o Festival BB Seguridade de Blues e Jazz terá etapas em Brasília (24 de junho), São Paulo (1º de julho), Recife (23 de setembro) e Porto Alegre (30 de setembro), sendo que as programações de cada etapa serão divulgadas futuramente.
O projeto é realizado via Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, com patrocínio da BB Seguridade e realização da Marolo Produções, Ministério da Cultura e Governo Federal, Ordem e Progresso.

Programação e horários dos show em Belo Horizonte

Joe Louis Walker, Wallace Roney Quintet, Zeca Baleiro, Blues Etílicos, O Bando, Wilson Lopes Trio e Orleans Street Jazz Band
11h00 Orleans Street Jazz Band
12h00 Wilson Lopes Trio
13h10 O Bando
14h10 Blues Etílicos
15h15 Joe Louis Walker
16h20 Wallace Roney Quinteto
17h40 Zeca Baleiro

Fora as atrações artísticas, teremos atividades especialmente programadas para as crianças.
- Oficina de desenho e colagem 
- Oficina de malabares 
- Oficina de musicalização 
- Pintura artística facial
- Escultura de balão
As atividades infantis começam às 11h.
São gratuitas e por ordem de chegada.

Saiba mais sobre os artistas escalados

Joe Louis Walker

Cantor, compositor, guitarrista e produtor, Joe Louis Walker nasceu em San Francisco, California (EUA) em 25 de dezembro de 1949. Ele iniciou a carreira na segunda metade dos anos 1960, tocando com lendas do blues e do jazz como John Lee Hooker, Willie Dixon, Otis Rush, Thelonius Monk, John Mayall, Muddy Waters, Steve Miller e Mike Bloonfield.

O artista se manteve afastado da cena do blues entre 1975 e 1985, período no qual se dedicou aos estudos (graduou-se em nível universitário em música e inglês) e tocando eventualmente e apenas com um grupo de gospel.  Em 1985, após participar com destaque do New Orleans Jazz & Heritage Festival, resolveu voltar à música em tempo integral.

Em 1986, ele coroou este retorno com o lançamento de seu primeiro álbum-solo, “Cold Is The Night”, e a partir dali consolidou sua carreira como um dos grandes nomes do gênero, misturando blues, rock, soul e jazz e lançando 23 álbuns e 3 DVDs. Três desses álbuns foram produzidos pelo lendário guitarrista, produtor e compositor Steve Cropper, conhecido por seu trabalho na gravadora de soul e blues Stax/Volt nos anos 60.

Walker já gravou com B.B.King, Buddy Guy, Bonnie Raitt e Scotty Moore, e concorreu ao Grammy em 2016 com o seu mais recente álbum,  “Everybody Wants a Piece Of Me”. Ele também possui em sua estante quatro Blues Music Awards, um dos mais importantes prêmios dedicados aos músicos de blues, além de ter sido introduzido no Blues Hall Of Fame em 2013.


Wallace Roney Quintet

Nasceu em 25 de maio de 1960, e teve como mentor ninguém menos do que o lendário Miles Davis, que entre 1983 e 1991 ensinou a ele os principais macetes do seu instrumento, o trompete. Eles tocaram juntos no festival de Montreux em 1991, e Roney participou do álbum “A Tribute To Miles”, lançado em 1994 e contando com a participação de mestres como Wayne Shorter, Tony Willians, Herbie Hancock  e Ron Carter.

Wallace aponta Miles Davis como o mestre que o ajudou a desafiar e moldar sua abordagem criativa para a vida, bem como sendo seu instrutor de música, mentor e amigo; na verdade, ele tem a distinção de ser o único trompetista que teve Davis como seu mentor pessoal, algo invejável e inigualável. De quebra, ainda ganhou um trompete do gênio do jazz!

Em seu vasto currículo, Wallace Roney também conta com prêmios da revista americana DownBeat, a bíblia do jazz mundial, gravações e shows com feras do porte de Art Blakey & The Jazz Messengers, Ornette Coleman, Sonny Rollins, Carole King, Joni Mitchell e Dizzy Gillespie e o lançamento de vários CDs.

O Wallace Roney Quintet traz atualmente, além de seu fundador e líder, os músicos Benjamin Robert Solomon (sax), Oscar Williams (piano), Curtis Lundy(baixo) e Eric Allen (bateria).
                                                                         
 Zeca Baleiro

O artista mostrará sua faceta mais blueseira no Festival BB Seguridade de Blues e Jazz. O repertório terá clássicos do blues americano, de artistas como Leadbelly e Albert Collins, e clássicos brazucas de autoria de Sergio Sampaio e Celso Blues Boy. Baleiro cantará ainda canções da própria lavra, como "Blues do Elevador" e "St Louis Blues", esta inédita. O set se completará de releituras de canções com pegada bluesy e jazzy.

Zeca Baleiro tocará acompanhado de seu versátil quarteto: Tuco Marcondes (guitarras e vocais), Adriano Magoo (teclados, samplers, sintetizadores e acordeon), Fernando Nunes (baixo) e Kuki Stolarski (bateria e percussão).

Em 2017 Zeca Baleiro celebra 20 anos do lançamento de seu primeiro disco, “Por Onde Andará Stephen Fry?” (1997). Desde então, lançou outros nove discos de inéditas, alguns (vários) projetos especiais e oito DVDs. Em 2014 lançou seu primeiro álbum infantil, “Zoró [bichos esquisitos] Vol.1”, que ganhou um aplicativo e saiu em dvd com animações em 2016, mesmo ano em que lançou “Era Domingo”, seu 10º álbum de inéditas.

Artista plural, construiu uma carreira sólida, sempre surpreendendo público e crítica a cada trabalho. Com melodias certeiras, arranjos elaborados e poesia em alta voltagem, Baleiro apresenta sua espirituosa visão de mundo em canções originais. Além disso, tem se revelado sagaz intérprete de outros compositores e se envolvido com novas áreas, como a literatura e o teatro.

Blues Etílicos

A marca mais forte do blues nacional e a banda há mais tempo em atividade nesse segmento. Desde meados dos anos 80, a banda formada por Flávio Guimarães, Greg Wilson, Otávio Rocha, Kadu Menezes e Cláudio Bedran vem produzindo uma extensa obra autoral, além de gravar homenagens às suas principais influências, tendo lançado doze CDs e um DVD.

Em 2015, a banda comemorou 30 anos de carreira com o lançamento do seu novo álbum. Gravado ao vivo no Teatro do Sesc Santo Amaro, em São Paulo, o CD  tem doze faixas. A banda resgata “Safra 63”, música de seu 1º LP lançado em 1987. Canções autorais de diferentes álbuns como “Tiro de Largada” e “Puro Malte” se somam às inéditas “Let it Rain” e “Solidão dos Bois”. 

Se o blues hoje no Brasil é um mercado consolidado com inúmeros festivais que recebem a cada ano atrações nacionais e internacionais, muito se deve ao Blues Etílicos. Em meados dos anos 80, era praticamente uma excentricidade se pensar em montar uma banda profissional de blues no país. Graças ao trabalho contínuo e consistente do grupo, toda uma geração de músicos e produtores de shows se interessou por esse estilo musical, formando um público fiel e numeroso.

A guitarra slide de Otávio Rocha e a gaita de Flávio Guimarães remetem diretamente ao blues, pontuando ou através de solos eletrizantes. O baixo de Cláudio Bedran e a bateria de Pedro Strasser garantem o groove sólido com muito suingue. O vocalista e guitarrista Greg Wilson comanda com segurança e estilo próprio.

 Wilson Lopes Trio

Privilegia a guitarra como instrumento central, apoiada por um suporte de bateria (André Queiroz) e contrabaixo (Beto Lopes). Permeado por temas autorais e outros já conhecidos pelo grande público de artistas como Milton Nascimento, Gonzagão, Lenine e Miles Davis, o som se projeta na direção do jazz fusion com sotaque mineiro.

Wilson Lopesé mestre graduado e professor de música popular na Universidade Federal de Minas Gerais. Ele é parceiro musical, guitarrista, diretor musical e responsável pelos arranjos de banda e orquestra do compositor/cantor Milton Nascimento desde 1993. Nesses 24 anos ao lado de Milton, entre shows, trilhas de filmes, gravações de CDs/DVDs, programas de TV e turnês, tendo percorrido mais de 30 países pela América do Sul, Norte e Central, Europa, Ásia e África.

Escreveu e lançou em dezembro de 2015 o primeiro “Songbook - Milton Nascimento”, contendo 53 partituras, fotos e textos de Milton Nascimento, Fernando Brant, Márcio Borges, Ronaldo Bastos, Chico Amaral e Danilo Nuha, além de um texto de sua própria autoria.

Gravou seis discos autorais: “Lua” (Grupo Edição Brasileira-1989); “Nossas Mãos- Homenagem a Milton Nascimento” (Wilson Lopes e Beto Lopes-1999); “Estórias do Dia” (Wilson Lopes-2001); “Nossas Mãos- Homenagem ao Clube da Esquina”(Wilson Lopes e Beto Lopes-2004); “Tempo Maior” (Wilson Lopes- 2006) e “Nossas Mãos-Homenagem a Toninho Horta” (Wilson Lopes e Beto Lopes- 2008).

“Sem dúvida, Minas é o lugar aonde reina a criatividade musical. Wilson Lopes, além, de ótimo instrumentista e que atualmente participa de minha banda, se tornou meu parceiro em composições. E como dá certo!!! Viva Gerais, viva Wilsinho e viva a moçada toda, de todos os estilos que fazem som”. Milton Nascimento

O Bando

Minas Gerais é berço de grandes talentos musicais, é o coração do Clube da Esquina. Mas, entre as montanhas de Minas também pulsam fortes estilos como o blues e o rock and roll. O grupo mineiro O Bando apresenta o melhor do Blues, mesclando grandes sucessos a um repertório próprio.  Os mineiros já se apresentaram ao lado de nomes como Os Paralamas do Sucesso no Circuito Brasil Musical, em João Pessoa (PB), entre outros. O Bando tradicionalmente faz a abertura do Festival Música do Mundo, que está na 6ª edição.
O grupo, conterrâneo de Milton Nascimento, viajou pelo Brasil ao lado do ícone da MPB na turnê do disco “...E a GenteSonhando”, entre outros projetos. Atualmente, os integrantes de O Bando também desenvolvem projetos paralelos, como o Ummagumma – The Brazilian Pink Floyd (principal cover do Pink Floyd do Brasil), idealizado pelo vocalista e guitarrista Bruno Morais.

Entre as músicas do seu set list, teremos: “Jessica” (The Allman Brothers Band), “Before you accuse me” ( Bo Diddley) e “Paraíso de Pedra” (Dentinho).
O Bando é formado por Felipe Duarte – guitarra e vocal, Bruno Morais – guitarra e vocal, Alessandro Brito – bateria, Dayvid Castro – contrabaixo, Mazinho – teclados.

Orleans Street Jazz Band
 A Orleans Street Jazz Band é uma tradicional banda de Street Jazz de São Paulo, já se apresentou no Rock in Rio, entre diversos outros festivais. Uma das características do grupo é realizar suas performances no solo, circulando pelo meio do público.
Entre as músicas do seu set list, estão incluídas  “Ice cream” (H. Johnson, B. Moll, R.King), “Georgia on my mind” (Ray Charles) e “I' ve found a new baby” (Ethel Waters).
 Alexssandro Rodrigues da Silva – Tuba, Flávio Rodrigues Nunes Junior – Banjo, Eloy Porto Neto – Trombone, Dalmo Di Napoli Guzela – Washboard, Washington Feliciano de Barros – Trompete e Augusto Cesar da Silva Vechini – Sax.

Sobre a BB Seguridade

 A BB Seguridade é a empresa que reúne todos os negócios do Banco do Brasil na área de seguros, previdência complementar e capitalização. Entre suas coligadas estão a Brasilpev, o Grupo Segurador BB MAPFRE e a Brasilcap. Também é detentora de parcela do IRB-Brasil Resseguros e controladora da Brasil Dental. Em 2013 abriu seu capital em bolsa, realizando o maior IPO do Brasil desde 2009 e o maior no mundo do ano de 2013. A BB Seguridade é líder de mercado em todos os segmentos nos quais atua.

3ª. Edição do festival BB Seguridade de Blues e Jazz - Belo Horizonte
Local: Praça JK
Endereço: Avenida dos Bandeirantes, nº 240- Sion - Belo Horizonte-MG
Dia: 11 de junho (domingo)
Horário: das 11h às 19h
Classificação Indicativa: livre
Gratuito

Nenhum comentário:

Postar um comentário