segunda-feira, 20 de julho de 2009

Conversamos com ele...


Por: Ricardo Bello

Ele é baixista de uma das maiores bandas de heavy metal da atualidade. O sucesso é cada vez maior pelo mundo afora, mas, ainda assim, Paulo Xisto não perde suas raízes.

O mineiro de Belo Horizonte é o entrevistado da semana do Revista de Cultura. Ele nos fala sobre fã, profissão, diversão e muito mais. Dê só uma olhada.

Revista de Cultura - Paulo, antes de ser músico o que você fazia?

Paulo Xisto - Como comecei minha carreira ainda muito jovem, eu era apenas estudante até as coisas desandarem. (Risos)

Revista de Cultura - Sua família deu apoio quando resolveu ser músico? Tem outros artistas nela?

Paulo Xisto - As nossas famílias tiveram grande influência em nossa carreira. Se não fossem eles, não sei se estaríamos aqui hoje. Na minha família eu sou o único artista. Na do restante da banda está cheio de artistas!

Revista de Cultura - Você tem ídolos na música? Quem são? Já chegou a tocar com algum deles?

Paulo Xisto - Tem vários ídolos! Já tive a chance de conhecer boa parte deles e também dividir o palco como Sting, Peter Gabriel, Metallica, Iron Maiden, The Police, Voivod, Pantera entre muitos outros....

Revista de Cultura - O que você gosta de fazer nas horas vagas?

Paulo Xisto -Eu gosto de ficar em casa, perto dos amigos, ir ao Mineirão assistir o Galo! Fazer um pouco de esporte, que é sempre bom!

Revista de Cultura - Já aconteceu alguma situação engraçada com fã? Aquela coisa de encontrar fã escondida em armário, debaixo da cama?

Paulo Xisto - O que vem na cabeça agora: um fã no Japão ficou tão nervoso em conhecer a gente, que ele ficou tirando fotos com sua camera virada para si e não parava de disparar o flash no seu próprio rosto! Foi engraçado!

Revista de Cultura - Se você não fosse artista que profissão acha que seguiria?

Paulo Xisto - Eu pensava em ser advogado, quando era mais novo, por causa do pai.

Revista de Cultura - Vocês já pensaram em fazer um filme contando a história do Sepultura?

Paulo Xisto - Idéias nós temos... vamos ver o que vai acontecer no futuro.

Revista de Cultura - Tem algum país que vocês tem muita vontade de tocar e ainda não tiveram oportunidade?

Paulo Xisto - Ainda temos muitos lugares à serem conquistados! Estamos falando no momento do Oriente Médio, pois já sabemos que temos uma legião de fans por lá!

Revista de Cultura - O espaço é seu. Mande um recado para os leitores do Revista de Cultura...

Paulo Xisto - Obrigado pelo espaço. Sepultura está mais vivo do que nunca, para os que sempre torceram contra. 25 anos não é pra qualquer um não! Beijos e muito obrigado!

4 comentários:

  1. sempre ouvirei o que o sepultura estiver fazendo , mesmo que eu venha a não gostar de algum eventual material novo deles, devo-os o direito de me mostra antes para que eu ache se é ou não pertinente a meu gosto o que estejam fazendo.

    AVANTE SEPULTURA , a maior banda do brasil ( e pq não ? AVANTE MEU GALO DOIDO !!!!!!!!!!!!!!!!)

    ResponderExcluir
  2. Nossa muito bom a entrevista, tive o prazer de conhece-lo em um show dos Paralamas e mesmo ocorrendo vários problema ele foi atento e tirou foto comigo..
    Vida longa ao Sepultura!!

    ResponderExcluir
  3. Sepultura e Atlético Mineiro - Melhor combinação !!!

    ResponderExcluir
  4. perderam a maior chance de se tornar uma mega-banda ao ficarem (andreas) com ciúmes do max.
    sepultura pós-max, tem algumas coisas boas, assim como soulfly também tem, mas não são a metade do sepultura da época do chaos.

    ResponderExcluir