segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Capital Mineira Ganha Destaque em Vários Tipos de Mídia Pelo Mundo Afora

Monumentos como a Igreja da Pampulha já apareceram em
minisséries de TV e até em filmes adultos - Foto: Daniel Stone
Por: Ricardo Bello


Com seus 119 anos, Belo Horizonte vem ganhando cada vez mais destaque na mídia nacional e estrangeira. Os motivos são os mais diversos: fatos históricos ocorridos na cidade, mineiros que literalmente viraram cidadãos do mundo, como a banda Sepultura, o jogo entre Brasil e Alemanha que terminou com o espantoso placar de 7 a 1 e, pasmem, a cidade é lembrada até por aparecer como cenário de filmes adultos.

A capital mineira foi destacada em filmes deste gênero várias vezes. A produtora Buttman, por exemplo, gravou alguns de seus títulos na cidade. Nos filmes "Delírio Mineiro", "Chapando em BH" e "Scorpion 34",  aparecem locais bastante conhecidos da cidade: o mirante da cidade, o aeroporto, a Lagoa da Pampulha e o Mineirão, recebendo a visita de atores e atrizes.

O Mineirão, antes da reforma, em cena de  um dos filmes
Foto: Reprodução
O diretor norte-americano John "Buttman" Stagliano esteve em BH há alguns anos e gravou na extinta boate Go Go Girl, que ficava situada no bairro Coração Eucarístico, um de seus carnavais. No vídeo (lançado no Brasil há alguns anos em fita VHS e atualmente vendido no exterior em DVD) é possível ver a fachada da casa onde funcionava a boate. A produtora Brasileirinhas também fez gravações, lançou em 1999 o filme "Aventuras em BH" em que exibem imagens da Avenida Antônio Carlos, um trecho da Rua da Bahia e até o popular Edifício Maleta pode ser visto, enquanto o elenco viaja em um ônibus.

Produções cinematográficas também já foram rodadas na capital, como "O Menino Maluquinho", criado pelo mestre dos desenhos Ziraldo e "Acredite, Um Espírito Baixou em Mim", longa-metragem feito pelos mineiros Maurício Canguçu e Ílvio Amaral.

Na TV, a cidade apareceu na Rede Globo em minisséries como "Hilda Furacão", baseada na obra do saudoso Roberto Drummond e "JK", que contou a vida de Juscelino Kubitschek. E no teatro, alguns artistas já optaram por fazer estreias nacionais de suas peças em Belo Horizonte. Com tanto destaque em todos os cenários, ao que tudo indica, a letra da música de César Menotti e Fabiano retrata a realidade: "Não há lugar melhor que BH". E que venham mais 119 anos de popularidade pelo mundo afora...

Nenhum comentário:

Postar um comentário