quinta-feira, 24 de maio de 2018

Coletivo Micrópolis lança seu primeiro livro com provocação sobre as possibilidades de imaginar a cidade

Livro será lançado no Cine Theatro Brasil em Belo Horizonte
Foto: Editora Micrópolis
Um prédio no centro da cidade. Em frente à Praça Sete. O Cine Theatro Brasil Vallourec já foi uma das construções mais altas de Belo Horizonte, também foi um cinema de rua, um restaurante popular e quase se tornou um bingo. As reflexões e provocações sobre as possibilidades para esse espaço nortearam o surgimento do livro 99 ideias para um cinema de rua que será lançando no dia 6 de junho, no Cine Theatro Brasil Vallourec (Avenida Amazonas, 315, Centro, BH), de 18 às 21 horas.

Uma piscina de bolinhas, um karaokê, uma fábrica de queijo, um abrigo para população de rua e um banheiro público foram algumas das respostas de transeuntes que passam em frente ao prédio ao serem provocados a refletir sobre o que caberia dentro do edifício, e o que fariam se pudessem definir o que haveria dentro daquela estrutura.

As conversas com as pessoas se deram com três ações performáticas realizadas pelo Micrópolis em 2015: um café grátis na rua, uma reportagem de uma emissora de TV fictícia, e uma rifa de obras de arte articulada com um artista de rua. Outra parte das ideias expostas na obra vem da própria trajetória de ocupação do espaço, desde que foi projetado pelo arquiteto Alberto Murgel e inaugurado na Praça Sete em 14 de julho de 1932.

O evento de lançamento tem entrada gratuita. E, além da venda dos livros (R$ 40 – preço promocional), haverá uma conversa abertacom integrantes do coletivo Micrópolis e os curadores da exposição Habitáculo, Fabíola Moulin e Marconi Drummond – antes de ser um livro, 99 ideias para um cinema de rua integrou a exposição realizada no próprio Cine Brasil, em outubro de 2015.

Na conversa aberta, o público poderá conhecer um pouco mais sobre o processo de criação do livro e também serão abordados os temas: arquitetura, urbanismo, cinema, artes, cultura e pedagogia urbana.

Sobre o livro

99 Ideias para um Cinema de Rua são noventa e nove respostas especulativas para a mesma pergunta: quais formas de ocupação poderia abrigar um grande edifício no coração da cidade, concebido como um cinema de rua em uma época em que a projeção de filmes ainda era um acontecimento capaz de reunir multidões em plena zona central?

As ideias apresentadas na série, sob a forma de noventa e nove desenhos arquitetônicos acompanhados de pequenas narrativas, não têm caráter programático nem ambição de viabilidade. Embora materializadas no edifício do Cine Theatro Brasil, em Belo Horizonte, o intuito das propostas é dar vazão às mais diversas maneiras de enxergar a cidade e as possibilidades de uso de seus espaços compartilhados.

O livro foi realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. Fundação Municipal de Cultura, Projeto 658/2015. A obra tem concepção, projeto gráfico, textos e revisão do coletivo Micrópolis - formado por Belisa Murta, Felipe Carnevalli, Marcela Rosenburg e Vítor Lagoeiro -  e a capa foi criada pelos designers Lucas Kröef e Paula Lobato.

Sobre o Micrópolis

O coletivo Micrópolis se reuniu em 2010 quando os primeiros membros se conheceram na Escola de Arquitetura da UFMG, em Belo Horizonte (MG). Interessado pelas possibilidades levantadas pelas relações sociais, políticas e identitárias, que se reproduzem no cotidiano da cidade, o coletivo atua nas fronteiras dos campos do urbanismo, da pedagogia, da ação cultural, da arquitetura e do design. O enfoque de sua prática são atuações em pequena escala, capazes de fazer emergir particularidades e imaginários locais que apontem para novas possibilidades de envolvimento e transformação do espaço

Fabíola Moulin

Artista visual, pesquisadora e curadora independente. É mestra em  Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura  FAU/USP e graduada em artes plásticas pela Escola de Belas Artes da UFMG foi responsável pela curadoria de inúmeras  exposições – Lorenzato: simples, singular no Centro Cultural do MTC, 2017, Absurdus: Murilo Rubião 100 anos na Biblioteca Pública, 2017; Lupa: ensaios audiovisuais no Museu de Artes e Ofícios, 2016; Horizonte Moderno no Centro Cultural do MTC, 2015, Habitáculo no Cine Theatro Brasil Valourec, 2015; Quasepoema:cartas e outras escrituras drummondianas na Casa Fiat de Cultura, 2014 entre outras. Atualmente responde pela Diretoria de Museus da Secretaria Municipal de Cultura/Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte.

Marconi Drummond

Artista visual, curador, designer gráfico e gestor cultural. Possui graduação e mestrado em Artes Plásticas pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (1991 e 2011). Dirige a Cápsula Cultura, escritório de projetos culturais, curatoriais e de design gráfico. Foi responsável pela curadoria das exposições "Quasepoema - cartas e outras escrituras drummondianas", dedicada à obra do escritor Carlos Drummond de Andrade (2014); "Horizonte Moderno"; "Habitáculo" (2015) e "Absurdus: Murilo Rubião 100 anos" (2017).

FICHA TÉCNICA
Título: 99 ideias para um cinema de rua
Autoria: Micrópolis
Gênero: Artes/ Arquitetura/ Urbanismo
Formato: 23cmx23cm
Páginas: 204
ISBN: 978 - 85 - 54931 - 00 - 1
Preço: R$50,00 (preço de lançamento: R$40,00)
Editora: Micrópolis

99 ideias para um cinema de rua: lançamento do livro + conversa aberta
Data: 06/06/2018
Horário: 18 às 21 horas
Local: Cine Theatro Brasil Vallourec (Avenida Amazonas, 315, Centro, BH)
Entrada gratuita

Nenhum comentário:

Postar um comentário