terça-feira, 11 de outubro de 2016

Três décadas de sucesso sertanejo dão origem ao DVD "Minha Historia" de Juliano Cezar

Juliano é referência entre os cantores sertanejos do Brasil
Foto:Fábio Nunes
Impossível falar em música sertaneja sem mencionar Juliano Cezar, artista com 30 anos de carreira e intérprete de canções que fazem parte dos clássicos, como 'Não Aprendi Dizer Adeus'.

'Minha História', título do DVD, que será gravado na cidade de Ribeirão Preto, no dia 19 de outubro, a partir das 21h, no Quinta Linda, será histórico. "Estou muito feliz e vivendo um dos melhores momentos da minha vida. Esta é a segunda vez que gravo um DVD em Ribeirão, cidade que eu amo, que sempre me acolheu com tanto carinho. Eu só tenho a agradecer, por tudo, sempre".

Serão 26 músicas, entre consagradas e inéditas, divididas em 16 faixas. O registro terá participações mais que especiais. "Juliano, cowboy vagabundo, é nosso amigo e pessoa que mora em nossos corações. Será uma honra dividir o palco com este grande artista, que fez e faz muito pela música", diz Matogrosso. "Juliano é inspiração pra muitos, inclusive pra gente. Ficamos felizes em fazer parte deste projeto e esperamos dar sorte pro cowboy, que além de nosso ídolo, é grande amigo", fala Fabiano Menotti.

 "Estamos felizes em participar do DVD, principalmente por ser um álbum que marca 30 anos de uma história que respeitamos demais. É uma imensa honra estar no palco para comemorar com ele. Além de um cantor que a gente admira muito, ele se tornou um grande amigo. Sempre que nos encontramos é especial e numa noite como esta, é infinitamente mais", declara Barreto.

Além de Matogrosso e Mathias, Bruno e Barreto, Cezar Menotti e Fabiano, 'Minha História' terá as presenças de Rionegro e Solimões e Eduardo Costa.

Definitivamente a noite do dia 19 será um convite aos amantes da boa música. Todos os arranjos e produção musical, assinadas pelo maestro Rodrigo Costa, resgatarão a essência do country, estilo que nasceu na região de Nashville, no Tennessee, e que ele mantém até hoje. "Juliano é um artista como poucos. Além de uma das vozes mais bonitas do sertanejo, ele tem alma. E é exatamente isso que queremos mostrar, através de canções memoráveis que ele tão lindamente interpretou ao longo destes 30 anos", explica Rodrigo.

Imagens de Juliano Cezar disponíveis em https://goo.gl/photos/WkWXz2droELai9ZU6

Serviço: DVD Minha História - Juliano Cezar
Data: 19 de outubro (quarta-feira)
Horário: 21h
Local: Quinta Linda - Rodovia Anhanguera, km 303 - Ribeirão Preto - SP
Ingressos: a partir de R$ 30,00
Pontos de comercialização de ingressos:
Ribeirão Preto TSA Yourself / Chapelaria Garcia)
Sertãozinho (Jocko's Hawaii)
Cravinhos (Transe-Boutique)

Sobre Juliano Cezar -  30 anos de uma sólida carreira na música sertaneja

Cantar é um dom. É nisso que acredita Juliano Cezar. Antes de se tornar um dos mais respeitados e queridos cantores da música sertaneja ao longo de 30 anos de carreira, Juliano Cezar percorreu estradas sinuosas e com muitos buracos. A paixão pela música veio na infância. Nascido na cidade de Passos, em Minas Gerais, aos 10 anos, ele aprendeu a tocar violão "de ouvido" e também acompanhando as instruções de um caderninho de cifras. "Na minha família só eu fui para este caminho. É uma coisa de Deus. Quem não tem dom consegue enganar com arranjos, cenários, modismo, mas por pouco tempo", conta ele que já gravou 12 álbuns - sendo 2 DVDs -, ganhou o prêmio Sharp como cantor revelação e tem uma indicação ao Grammy Latino na categoria melhor álbum romântico com o disco "Cowboy Vagabundo". 

Por dez anos, o "Cowboy Vagabundo" - como é conhecido graças à música homônima, gravada em 2000 - foi caminhoneiro. Dirigiu por quilômetros de rodovias brasileiras tendo como companhia apenas as vozes de nomes como Tião Carreiro, Milionário & José Rico, Felipe & Falcão e Gilberto & Gilmar, que saiam do toca-fitas incansavelmente. Mais tarde, como peão de haras e de animais de rodeio, aproveitava o tempo de folga para cantar nas barracas nos rodeios, bares e casas noturnas de Minas Gerais e Brasília. "Eu precisava de um dinheirinho extra e acabava fazendo o que mais gosto que é cantar", lembra Juliano.

Na segunda metade da década de 1980, Juliano Cezar entrou em um ônibus com destino à São Paulo para realizar o sonho de gravar um disco. Separou algumas modas conhecidas e entrou em estúdio. "Gravei tudo em uma noite e um dia", se diverte o cantor ao lembrar. Apaixonado por música country, o cantor foi um dos primeiros a adaptar o estilo à música do campo brasileira, criando o country sertanejo. E foi só em 1990 que Juliano Cezar conseguiu lançar o primeiro disco oficial da carreira. Para pagar o álbum produzido pelo maestro Pinocchio, ele precisou vender um carro e um cavalo. O investimento resultou em sucessos como "Não Aprendi Dizer Adeus", canção que anos mais tarde foi regravada pela dupla Leandro & Leonardo. 

O sucesso de "Não Aprendi Dizer Adeus" na voz grave, limpa e única de Juliano Cezar renderam a ele o prêmio Sharp de melhor cantor revelação em 1990, além de shows em todas as regiões do país. E a partir vieram outros hits românticos como "Rumo à Goiânia" (de 1991), "Bem aos Olhos da Lua" (de 1997), "Faz Ela Feliz" (1998), "Cowboy Vagabundo" e "Malvada" (2002), distribuídos em 12 discos de carreira. "Cowboy Vagabundo", aliás, dá nome ao disco lançado em 2000, que levou o cantor à indicação ao prêmio de melhor álbum romântico pelo Grammy Latino, uma das mais importantes premiações musicais do mundo. 

Também foram dois DVDs: o primeiro, lançado em 2005, foi gravado em Passos, sua cidade natal e contou com a participação de Nalva Aguiar e o locutor de rodeios Gleydson Rodrigues. 

Já o segundo DVD, de 2008, teve como locação a cidade de Ribeirão Preto, onde o cantor mora há 15 anos e recebeu o nome de "Assim Vive um Cowboy". O álbum com 24 faixas reuniu nomes importantes da música sertaneja: Jorge e Mateus ("Rumo à Goiânia"), Fernando & Sorocaba ("Não Vá Pra Califórnia"), João Bosco & Vinícius ("Do Outro Lado da Rua"), Teodoro & Sampaio ("Meu Amor Fugiu de Mim"), Matogrosso & Mathias ("Faz Ela Feliz"), Zé Henrique & Gabriel ("O Cantor e o Peão"), Fred & Pedrito ("A Malvada"), além da banda de forró Calcinha Preta, que interpretou "Amor eu Choro". 

O ultimo trabalho de Juliano Cezar, lançado em 2014, é uma coletânea das principais músicas gravadas pelo artista ao longo de 25 anos de estrada e as participações de Milionário & José Rico, João Bosco & Vinícius, Fernando & Sorocaba e Jorge & Mateus. O disco traz ainda três fixas inéditas: "Isso é Amor Demais", "Meu Lado Feminino" e "Cowboy Nas Madrugadas", que é uma composição de Juliano em parceria com Eder Júnior.

A carreira sólida de Juliano Cezar é resultado de coerência musical na escolha do repertório, talento muita luta, como ele mesmo gosta de dizer. Ele é um dos únicos representantes legítimos da influência do country na música sertaneja. Há mais de duas décadas suas músicas são sucesso em Minas Gerais, Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul e interior de São Paulo. "Sou igual a agricultura e a pecuária no Brasil, vivo no interior", brinca. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário