quarta-feira, 2 de julho de 2014

Parque Lagoa do Nado Recebe Shows

Local recebe vencedores do Concurso Cultura 2014, promovido pelo Ministério da Cultura, e integra a programação oficial do MinC para o período da Copa 2014
 
O Parque Lagoa do Nado (Rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904,  Itapoã- Belo Horizonte) se transformará em palco para a arte e cultura. No domingo (6 de julho), a partir das 15h, Babilak Bah apresenta o Som Afroprogressivo com o Quarteto de Enxadas, seguido pelo espetáculo “Dançando a Vida” do grupo cênico-musical Nem Secos. Simultaneamente aos shows, a artista Ana Lana Gastelois apresentará a intervenção “Objetos Voadores”  e fará a inauguração da escultura “Olhe Bem as Montanhas”.
 
Os três trabalhos foram vencedores do Concurso Cultura 2014 e estão integrando a programação oficial do Ministério da Cultura para o período da Copa 2014.
 
Nem Secos
Formado por formado por Alexandre Mestiço (Voz), Berci de Lima (Voz), Carlos Linhares (Baixo e Voz), Deh Mussulini (Voz), Gustavo Maia (Voz e Violão), Leandro Said (Gaita, Sax e Flauta), Leonardo Clementine (Guitarra e Voz), Luã Linhares (Teclado e Voz), Padé Faraco (Percussão), Sune Salminen (Bateria), Rodrigo Pinheiro (Dança) e Gutielle Ribeiro (Dança), o grupo Nem Secos vai apresentar o Espetáculo autoral Dançando a Vida, que se destaca por unir as expressões da música e dança, com a atuação no palco de dois dançarinos além dos dez músicos da banda. 
Este é o primeiro trabalho integralmente autoral do Grupo Nem Secos, após mais de uma década produzindo espetáculos que recriam momentos decisivos da música popular brasileira. Toda a pesquisa de ideias, movimentos e atitudes culturais empreendida nesses anos de estrada desemboca em uma obra plural, em que música, dança, teatro e poesia se unem, na fusão de linguagens artísticas que caracteriza as montagens do Nem Secos. A presença da dança, com os dançarinos Rodrigo Pinheiro e Gutiele Ribeiro, é o resultado de uma parceria do Nem Secos com a Cia. Seraquê e a coreógrafa e diretora Bete Arenque.
No palco, os músicos e dançarinos integram suas performances sonoras e coreográficas para trazer toda a magia dos musicais. MPB, Samba, Rock, Baião, Soul, Maracatu, Funk, Frevo, Reggae, Afoxé... Toda a diversidade de ritmos que confere uma riqueza única à música brasileira está presente no espetáculo Dançando a Vida.
 
Babilak Bah & Quarteto de Enxadas
Criador compulsivo e dono do que se pode chamar de "teimosia artística", Bah se autodenomina mais um "propositor" do que um compositor, certo de que o que norteia o seu fazer artístico em mais de 20 anos de carreira é a persistência de construir um trabalho autoral, singular, sublinhado por sua biografia e identidade. 
Artista do ruído, Babilak vem de forma sistemática afirmando-se como um criador de situações sonoras, um propositor por excelência, autodidata, poeta e arte-educador. Em 2000 o artista concebeu e criou o "Enxadário: Orquestra de Enxadas", através de experimentações sonoras que explorava os timbres desse instrumento até então utilizado como ferramenta de trabalho.
Dando sequencia ao seu projeto estético, Bah retoma a sua criação mais inovadora agora de forma suscinta através do quarteto de enxadas. Conduzidos por seu idealizador, os músicos executarão de maneira inédita e inusitada o Hino Nacional Brasileiro, usando a enxada como instrumento.
 O Quarteto de Enxadas tem em sua formação os músicos: Johnny Herno (percussão, enxadas e efeitos, Leonardo Brasilino (Trombone e direção musical), Thiago de Melo (baixo acústico e enxadas) Markus Cupertino (bateria e enxadas) Almin de Oliveira (Enxadas e congas). Além dos instrumentos tradicionais, serão usadas na performance algumas novidades criadas no projeto "Enxadigma: pesquisa e construção de instrumentos" com destaque para o Marimbau Eletrônico, que, conforme definição do músico, é uma "evolução luxuosa da sua Berimbacia". O Marimbau foi criado por Waldo Lima do Vale, especialmente para Babilak.
 Ana Lana Gastelois
Envolvendo escultura, instalação, intervenção e performances, o projeto já foi apresentado em várias cidades do país e no exterior, em eventos, congressos, feiras, festivais de inverno,de teatro e de dança, além de exposições de artes visuais. São objetos de formatos variados que interagem com o ar, formados por fumaça, fogo, bolinhas de sabão, cata-ventos, papéis de seda e tecidos.
Uma das atrações, a escultura “Olhe Bem as Montanhas”, foi instalada na Praça da Estação, por ocasião do centenário da capital, e ficou durante anos no local, tornando-se parte da paisagem. Pequenas estruturas metálicas se movem através do vento, gerando uma sonoridade ao acaso.
“Nossa ideia é convidar o público das escolas do entorno e os apreciadores das artes em geral para criar um espaço diferenciado nos parques, por meio da instalação e das intervenções. O Projeto Objetos Voadores envolve também a conversa com público”, diz Ana Lana Gastelois. 
 Babilak Bah & Quarteto de Enxadas, Grupo Nem Secos e intervenções de Ana Lana Gastelois no Parque Lagoa do Nado
Data: 6 de julho – Domingo
Horário: a partir das 15h
Local: Parque Lagoa do Nado - Rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904, Itapoã
Entrada gratuita

Nenhum comentário:

Postar um comentário