terça-feira, 24 de abril de 2012

"AS CONCHAMBRANÇAS DE QUADERNA" Chega a Minas Gerais

Quem não se lembra de Quaderna, o narrador do romance “A Pedra do Reino”, do escritor e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna? Pois ele está de volta, e, desta vez, ao teatro. A peça “As Conchambranças de Quaderna”, com direção da atriz e cantora Inez Viana, chega a Belo Horizonte dia 5 de maio para uma curta temporada de duas apresentações no Teatro Alterosa (sábado, às 21 horas, e domingo, às 19 horas). Antes disso, a peça passa por Ipatinga, nos dias 2 e 3 de maio, no Teatro Zélia Olguin.


São duas peças numa só, ligadas por um mesmo narrador, Dom Pedro Diniz Quaderna. A primeira, “Casamento Com Cigano Pelo Meio”, conta a saga de duas irmãs prometidas em casamento, em que o noivo de uma delas, no dia do matrimônio, resolve que quer se casar com a outra, criando uma grande confusão. Já a segunda história, “A Caseira e a Catarina”, fala de uma mulher traída pelo marido, que faz um pacto com o Diabo e pede para que ele leve o traidor e sua amante para o inferno. Quaderna, então, se disfarça de Diabo e, além de criar muitas “conchambranças”, revela um final surpreendente.


Uma comédia imperdível, não só por colocar em perspectiva o Brasil e sua cultura, mas também por discutir o que vem a ser brasilidade. A adaptação da obra para os palcos teve ótimas críticas por onde passou, e Inez Viana recebeu elogios do próprio Suassuna.



Leonardo Brício, que vive Davi na minissério Rei Davi, da Record, é a estrela da peça e interpreta Quaderna sem cair na caricatura do nordestino. Além dele, a peça ainda conta com um elenco de primeira: Débora Lamm, Dani Barros, Souzedo, Iano Salomão, Diogo Camargos, Zé Wendel, Junior Dantas e Viviane Câmara.


Inspirada nos circos e danças populares, os nove atores e dois músicos contam essa divertida história, num ritmo próprio, ajudado por painéis que deixam e tiram os atores de cena, como num passe de mágica, criando um efeito visual surpreendente.


A versatilidade de Suassuna


Ariano Suassuna dispensa apresentação, mas nunca é demais ressaltar que o trabalho do romancista e dramaturgo é uma dos mais importantes referências da literatura brasileira. Fundador do “Movimento Armorial”, Ariano tem sua obra permeada por valores e personagens da cultura popular nordestina e de clássicos da literatura.


Suassuna escreveu “As Conchambranças de Quaderna” em 1987, após um afastamento de vinte e cinco anos do teatro. Tal afastamento iniciou-se em 1962, quando concluiu “A Caseira e a Catarina”, peça em um ato, montada pelo Teatro Popular do Nordeste, sob direção de Hermilo Borba Filho. A partir daí, o autor passou a dedicar-se a uma trilogia de romances com os títulos: “A Maravilhosa Desaventura de Quaderna”, “O Decifrador” e o “Romance d’A Pedra do Reino", escrito de 1958 a 1970.



O Quaderna que sobe ao palco, portanto, é o mesmo personagem-narrador de “A Pedra do Reino”. Dom Pedro Dinis Ferreira-Quaderna, ou simplesmente Pedro Quaderna, rei e palhaço, misto de Quixote e Sancho, astrólogo, charadista, escritor de folhetos, bibliotecário, dono de circo, intelectual sertanejo megalomaníaco, divertido e sedutor. Ele representa o sertanejo que se vale da astúcia para sobreviver, alcançar alguma notoriedade e adquirir certas vantagens no seu mundo de senhores de terras, cangaceiros, boiadeiros, ciganos, catarinas e moças donzelas doidas para casar. Um dos personagens mais complexos da literatura brasileira.

Sobre Inez Viana


A atriz e diretora teatral, Inez Viana é formada pela Casa das Artes de Laranjeiras (C.A.L) desde 1987. Reúne em seu currículo mais de 20 peças, filmes, novelas e shows. No teatro, trabalhou com diretores renomados como Aderbal Freire (Fo), Enrique Diaz, Miguel Fallabela, João Moreira Salles, Jorge Fernando, Cécil Thiré, Sérgio Britto, Domingos Oliveira, Luiz Antônio, Martinez Correa, entre outros.


Dona de uma voz privilegiada, ela passeia entre palcos e microfones com desenvoltura. Em 1987, recém-formada em teatro, Inez Viana estrelou “Gardel – Uma Lembrança”, sob a direção de Aderbal Freire Filho. Entre os Prêmios que recebeu, estão o de melhor atriz de Teatro, em 1991, por sua atuação em “Uma Aventura Carioca”, de Caio de Andrade, e o Prêmio Millênium de Televisão, por seu trabalho na novela “Laços de Família”, em 2000. Foi também indicada como uma das dez melhores atrizes do ano de 1996, por “Futuro do Pretérito”, de Regiana Antonini.



Em 2009, a atriz enfrentou uma dupla jornada com o monólogo “A mulher que escreveu a Bíblia” e com o musical “Sassaricando - E o Rio Inventou a Marchinha”.


Ficha técnica
Autor: Ariano Suassuna
Direção: Inez Viana

Elenco: Leonardo Brício, Dani Barros, Débora Lamm, Ricardo Souzedo, Iano Salomão, Diogo Camargos, Zé Wendel, Junior Dantas e Viviane Câmara

Músicos: Gustavo e Jéssica

Direção de produção: Fábrica de Eventos/ Cláudia Marques

Produção executiva: Leila Moreno e Liliana Mont Serrat

Cenário: Nello Marrese

Figurino: Flávio Souza

Direção musical: Marcelo Alonso Neves

Iluminação: Renato Machado
Consultoria: Carlos Newton Jr.
Programação visual: Mais Programação – Humberto Costa
Assistente de direção e contrarregra: Luiz Antonio Fortes



AS CONCHAMBRANÇAS DE QUADERNA

Ipatinga
Data: 02 e 03 de maio, às 20h

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia entrada)

Local: Teatro Zélia Olguin - Av. Itália, 1890 , Cariru, Ipatinga

Contato: (31) 3825-1670



Belo Horizonte


Data: 05 e 06 de maio - sábado às 21h, e domingo às 19h


Ingressos: R$ 20,00 (inteira) / R$ 10,00 (meia entrada)


Local: Teatro Alterosa – Av. Assis Chateaubriand, 499, Floresta, Belo Horizonte


Contato: (31) 3237-6611

Nenhum comentário:

Postar um comentário