sexta-feira, 30 de abril de 2010

OURO PRETO ABRE ETAPA DO INTERIOR DE MINAS DO CONEXÃO VIVO 2010



Foto: Leonardo Lara

Conexão Vivo 2010 oferece até o dia 2 de maio, uma maratona de oficinas e shows em Ouro Preto. Essa é a primeira vez que a iniciativa da Vivo - voltada ao desenvolvimento de uma rede nacional inédita de fomento à produção cultural - é realizada na cidade histórica, em parceria com a prefeitura da cidade.

Ouro preto é a segunda cidade a receber o programa neste ano, que já passou por Belo Horizonte. A partir dessa segunda, serão realizados 24 eventos, sendo 14 shows e 10 oficinas, que serão ministradas pelos próprios artistas patrocinados pela Vivo.

Nessa segunda se iniciam os trabalhos da oficina de Técnica de Iluminação, ministrada por Wladmir Medeiros. A grade de oficinas continua ao longo da semana e incluem práticas de violão e processo criativo, hip-hop, inclusão social e responsabilidade ambiental, expressão corporal e vocal, pífano e percussão, congado, produção experimental de áudio com software livre, técnica de iluminação e canto. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo portal www.conexaovivo.com.br

A Praça Tiradentes, na região central de Ouro Preto será o palco dos shows gratuitos do Conexão Vivo 2010, de 29 de abril a 2 de maio (sexta a domingo), sempre às 19 horas. No palco, novos talentos selecionados pela curadoria do projeto e pelo público através de votação popular no portal Conexão Vivo (http://www.conexaovivo.com.br/), e encontros históricos de alguns dos maiores nomes da música brasileira, proporcionado pelos artistas patrocinados pela Vivo.

Para o Secretário de Cultura e Turismo, Chiquinho de Assis, "este evento retoma uma característica fundamental de fomento ao turismo a partir de atrativos culturais de extrema qualidade. Essa parceria com a Vivo, e em especial com o projeto Conexão Vivo, tende a entrar para o calendário do Município, e é também um grande presente ao nosso ouro-pretano no Dia do Trabalhador".

SHOWS:

Sexta (dia 30/04)
19h - Warley Henrique (MG);
20h - Grupo Muda (MG) convida Bocato (SP),
21h - Sérgio Santos (MG) convida Chico Pinheiro (SP),
22h - Carlos Farias e Lavadeiras de Almenara convidam Chico Lobo (MG),
23h - Renegado convida Aline Calixto (MG).

Sábado (dia 01º/05)
19h - Graveola e o Lixo Polifônico (MG),
20h - Cataventoré (MG) convida Mestre Luiz Paixão (PE),
21h - Zé da Guiomar convida Thiago Delegado (MG),
22h - Patrícia Ahmaral (MG) convida Otto (PE),
23h - Maurício Tizumba (MG) convida Raquel Coutinho (MG) -

Domingo (dia 02/05)
19h - Constantina convida Ronaldo Gino (MG),
20h - Déa Trancoso (MG) convida Cláudio Nucci (RJ),
21h - Monte Pascoal convida Nivaldo Ornelas (MG),
22h - Dois do Samba convida Vander Lee (MG).

História

Em sua décima edição, o Conexão Vivo iniciou em Belo Horizonte sua primeira fase de apresentações musicais e oficinas culturais pelo país. De 12 a 25 de abril, a capital mineira recebeu 110 shows, além do Encontro Internacional de Cooperação Cultural, o Seminário Música & Movimento, a Mostra Música & Mídia e a Exposição Conexão Vivo 10 anos.

Lançado em 2001, o programa surgiu com o objetivo de fortalecer a cadeia criativa e produtiva da música de Minas Gerais. Sua tecnologia de gestão compartilhada, inédita no Brasil, logo se amplificou e formou uma rede nacional que conta com artistas, público, produtores, gestores, jornalistas, diretores de festivais, casas de espetáculo e demais elos do cenário cultural. Colaborativa, a rede Conexão Vivo possibilita aos seus membros construir parcerias, trocar conhecimentos e expertises, além de participar de debates e cursos de capacitação sobre o cenário musical e o desenvolvimento de novos modelos de difusão e negócios. Mais ainda, permite ao conectados, autonomamente, remodelar os próprios destinos da rede, direcionando suas ações e recursos para atingir objetivos de interesse coletivo e que potencializem ainda mais os indivíduos dela participantes.

Desde sua primeira edição, passaram pelos palcos do Conexão Vivo 624 artistas brasileiros e convidados internacionais únicos. O projeto já produziu ou financiou mais de 250 mil CDs e DVDs individuais e coletivos. Em nove anos, foram realizadas mais de 1500 atividades entre espetáculos, oficinas, debates e seminários, presenciadas por um público de 380 mil pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário