terça-feira, 13 de outubro de 2009

Exclusivo


Por: Ricardo Bello
Fotos: Divulgação

Ele já foi um Jornalista da Rede Globo e hoje ganha a vida fazendo imitações de cantores famosos por todo o País. Conversamos com exclusividade com Fernando Ângelo, um dos maiores cantores-imitadores do Brasil.

Fernando é um dos poucos artistas do mundo que conseguem fazer com perfeição a voz do inesquecível Louis Armstrong cantando " What a Wonderful World". Fez duetos improváveis como o de Elvis Presley cantando com o também saudoso Raul Seixas, Cauby Peixoto se apresentando com Tetê Espíndola, entre muitos outros.

Em um bate-papo descontraído com o Revista de Cultura, ele fala dos tempos em que trabalhou na TV, conta sobre músicas que ganhou de Belchior e muito mais. Confira:

Revista de Cultura - Fernando, antes de começar a carreira artistíca você foi repórter da Rede Globo. Foi dificil esse momento, a decisão de "mudar de vida" radicalmente, mudar do Jornalismo para o humor?

Fernando Ângelo - Não houve assim um só momento. Eu tentei durante mais de dois anos conciliar o Jornalismo com os shows, mas a agenda e os ganhos com shows foram superando a minha atividade de Jornalista e eu tive que escolher entre os dois. A arte falou mais alto e eu resolvi seguir a carreira de cantor-imitador. Não foi fácil, mas também não me arrependo!

Revista de Cultura - Você é filho de uma cantora excelente, dona Eunice Fialho, a quem deixamos aqui um abraço. Ela te deu apoio quando resolveu ingressar de vez na carreira de cantor- imitador?

Fernando Ângelo - A minha mãe foi a minha maior incentivadora para eu seguir o meu talento e continua sendo. Como você disse ela é até hoje, aos 82 anos, uma excelente cantora! E se não fosse por ela eu nunca teria entrado na vida artística!

Revista de Cultura - Tem algum artista que você queira muito imitar, mas ainda não conseguiu ou está em fase de teste?

Fernando Ângelo - Tem vários artistas que eu não consigo imitar. Tem uns que eu sinto, depois de um tempo tentando, nunca vou conseguir e outros que a gente vai trabalhando e acaba conseguindo. Eu queria muito imitar a Susan Boyle - o fenômeno da internet - e depois de muito trabalho, consegui e é um grande sucesso no meu show atual. A imitação mais difícil que eu já fiz, também está no meu mais novo show: a cantora Vanusa "cantando" a versão dela para o Hino Nacional! É muito difícil pra mim cantar tão desafinado e desencontrado. Eu tive de fazer horas de "anti-ensaio" aprendendo a atravessar uma melodia tão conhecida! Não foi fácil! (risos)

Revista de Cultura - Todo artista tem sua história com fãs. É verdade que uma fã conseguiu segurar a sua mão e não queria largar? Conte essa história...

Fernando Ângelo - Só depois que aconteceu comigo que eu soube o porque dos artistas cumprimentando o público só passando a mão nas mãos dos fãs. Certa vez, eu fui cair na besteira de esticar o meu braço e deixar uma fã segurar a minha mão numa exposição agropecuária. Ela não só segurou como me puxou e não queria largar de jeito nenhum. Ela quase me derruba do palco. Só consegui me soltar fazendo muita força e mesmo assim a unha dela deixou uma pequena cicatriz na minha mão direita.

Revista de Cultura - Como falamos antes, você já foi repórter e hoje é um imitador. Já chegou a usar alguma imitação em suas reportagens na época?

Fernando Ângelo - Eu sempre tive talento para imitações. Quando era repórter da Globo, fiz muitas imitações de sons de animais nas matérias e até o som de uma sirene com a boca, que nos ajudou a abrir caminho numa movimentada avenida de Belo Horizonte! Até hoje quando me encontro com antigos companheiros da Globo a gente morre de rir destas coisas que ficaram na história lá!

Revista de Cultura - Você morou alguns anos em Belo Horizonte e hoje em dia está em São Paulo. Bate de vez em quando aquela saudade de casa, da comida mineira, enfim?

Fernando Ângelo -Eu nasci em Belo Horizonte, e tenho muito orgulho disto. Faço questão de dizer sempre nos programas de TV que sou mineiro de "Belzonte"! A minha família toda mora em BH. É claro que tenho saudades da minha época lá mas hoje a minha realidade é outra pois o meu QG (Quartel General) é São Paulo. Mas, de vez em quando, sempre que posso, dou um pulinho em Belo Horizonte pra não perder a "mineiridade" e matar as saudades, além de também matar a fome com uma comidinha mineira!

Revista de Cultura - Um cantor que virou hit no Youtube, o Belchior, está no seu repertório de imitações. No seu site até vimos uma foto sua com ele. Já chegou a imitar o Belchior na frente do original? Cantou com ele?

Fernando Ângelo - O Belchior está nos meus shows desde que eu comecei a carreira. Ainda hoje é uma das imitações mais aplaudidas. Certa vez eu imitei o Belchior numa festa pra ele em BH. Ele gostou tanto que me deu 3 músicas pra eu gravar no meu primeiro disco.

Revista de Cultura - Pratica algum esporte? Tem cuidado específico com a alimentação?

Fernando Ângelo - O único esporte que eu pratico atualmente é a caminhada. Já pratiquei muito o futebol e depois o voley. Com relação à comida eu como de tudo um pouco. Evito comidas muito gordurosas e como muita salada. Bebidas alcoólica raramente eu bebo.

Revista de Cultura - Hoje em dia está casado, solteiro, namorando, ficou noivo?

Fernando Ângelo - Eu estou noivo da Francielle Cury, que é campeã mineira e brasileira de xadrez. A gente vai se casar em janeiro do ano que vem.

Revista de Cultura - O espaço é seu. Mande uma mensagem para os nossos leitores:

Fernando Ângelo - Ao público de Belo Horizonte eu gostaria de agradecer o apoio e o carinho que ele sempre me dispensou. Aos que leem esta revista eu gostaria de mandar um beijo no coração e que todos tenham a oportunidade de assistirem um show meu, o que para mim será maravilhoso!À torcida do meu América, saudações alviverdes! "Ôôô, o Coelhão voltou..." (risos)

E a você meu caro amigo Ricardo, um grande abraço de parabéns pelo Belo trabalho (sem trocadilho! risos) que você vem realizando em prol da cultura no nosso Estado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário