terça-feira, 8 de setembro de 2009

O dono da voz


Por: Ricardo Bello

Nos dias de hoje, mesmo com tanta tecnologia, TV a cabo, internet e uma ampla variedade de canais de comunicação, o rádio ainda exerce um fascínio em seus ouvintes pelo mundo afora. E é com um dos mais gabaritados profissionais de rádio que nós conversamos hoje. Flávio Machado, o dono da voz que conquista fãs de todas as idades na rádio BH FM, é o entrevistado da semana no Revista de Cultura. Ele nos fala sobre sucesso, diploma de Jornalismo, improviso no ar e muito mais. Confira este bate-papo exclusivo:

Revista de Cultura - Flávio, se não fosse radialista que profissão seguiria?

Flávio Machado - Também sou ator. Já fiz novela e viajei o Brasil com espetáculos. Seria ator apaixonado por rádio...

Revista de Cultura - Você também aparece na TV em comerciais e outros trabalhos, mas tem gente que ouve sua voz no rádio e não sabe se você é alto, baixo, loiro, moreno, enfim...já foi reconhecido em algum lugar só pela voz?

Flávio Machado - Já sim. Várias vezes lanchonete, elevador....muitas vezes.

Revista de Cultura - Li no seu blog que passou uma situação não muito agradável com o Lulu Santos durante uma apresentação. Conta como foi?

Flávio Machado - Coisas de Lulu...mas ele pode!

Revista de Cultura - Como lida com o assédio, a reação do público com o seu trabalho?

Flávio Machado - Adoro...é uma extensão do que faço no estúdio...carinho, atenção e humildade...eis a receita pra receber tanto carinho.

Revista de Cultura - Já passou alguma situação engraçada com o programa no ar, ao vivo? Lembra de alguma que possa contar aqui?

Flávio Machado - O meu jargão "Oi Maravilhosa" apareceu quando as telas dos computadores da rádio simplesmente apagaram segundos antes de entrar com a ouvinte no ar. Como eu não tinha nenhuma informação sobre ela, a chamei de maravilhosa. Ela gostou tanto que pediu para eu repetir. A ouvinte seguinte também pediu. Pronto criei um jargão sem querer. E hoje é minha marca registrada a ponto de outras rádios proibirem seus comunicadores de chamar ouvintes assim.

Revista de Cultura - Na sua família há outros locutores ou artistas?

Flávio Machado - Não. Todo mundo é normal.

Revista de Cultura - Você tem algum cuidado especial com a voz?

Flávio Machado - Faço aquecimento vocal e não grito gol quando o Cruzeiro marca.

Revista de Cultura - O que achou da decisão que não obriga o uso do diploma para profissionais do jornalismo?

Flávio Machado - Na prática isso sempre aconteceu. Nem sempre o formado em Jornalismo está preparado ou tem talento para a profissão. Se a pessoa tem talento, deve meter as caras. Dou aula de locução em grandes centros acadêmicos e já peguei alunos de períodos avançados de Jornalismo que não sabiam ler ou mesmo entender um texto.

Revista de Cultura - Que tipo de música você gosta?

Flávio Machado - Seria mais fácil falar das músicas que não gosto (risos) Gosto de músicas que tocam a alma...

Revista de Cultura - O espaço é seu. Mande um alô para os leitores do blog:

Flávio Machado - Obrigado pela oportunidade. Estou no ar de segunda a sexta sempre de oito ao meio dia ( na BH FM). Leia cultura...cultura nunca é demais.

2 comentários:

  1. Bacana!!!
    Esse ai é um dos melhores comunicadores que ja vi desde que comecei a pixao pelo radio.
    muitas historias vividas, e muitas outras pra contar, grande abraço meu amigos e parceiro Flavio Machado..sorte sempre!!!
    Luiz (locutor)

    ResponderExcluir
  2. TUA VOZ, TEU CARISMA É...SIMPLESMENTE M A R A V I L H O S O ! ! !

    ResponderExcluir